"> EM BUSCA DO PARAISO - Sônia - ASTROLOGIA CÁRMICA | Bloguez.com - Bloguez.com
 

 EM BUSCA DO PARAISO - Sônia Carvalho

18/3/2010

 

MUITAS PESSOAS ALMEJAM O EDEN...

Acreditam que ele é um lugar tão belo, repleto de flores, de pessoas felizes e com anjos a tocarem maravilhosas músicas em suas harpas douradas.
E assim, passam uma vida inteira sonhando em ingressar no paraíso, consideram-se legítimos seguidores de Deus, mas deixam de praticar os seus ensinamentos.

 

Prendem-se a valores materiais e esquecem de que no final só restará o espírito.
Questionam religiões e ignoram que o Pai tem muitas moradas.
Acham-se superiores e fingem não perceber que somos todos iguais, perante Deus.
Proclamam o evangelho, mas não colocam o amor em prática.
Praticam cultos, mas não realizam a solidariedade
Acham-se cheios de qualidades, mas não conhecem a verdadeira humildade.


Cantam louvores ao Pai, mas não estendem a mão a quem necessita de ajuda.
São assíduos freqüentadores de centros espíritas, igrejas e templos, mas deixam de colocar em prática o que lá ouvem.
Esperam a ajuda divina, mas mantêm os braços cruzados.


Escrevem páginas tão belas, mas não incorporam os dizeres a sua vida.
Julgam-se tão importantes nos lugares que freqüentam, mas não são capazes de fazer um simples gesto de caridade.
Dizem-se dispostos a cooperar, mas só se os holofotes estiverem voltados para o que realizam.
São evoluídos intelectualmente, mas não recuam os passos, para que outros possam acompanhá-los.
Proclamam-se humildes, mas semeiam o orgulho no coração.


Acreditam que são verdadeiramente bondosos, mas sempre esperam que seus atos sejam reconhecidos e retribuídos.
Dizem serem seguidores de Jesus, mas não sabem praticar o perdão como Ele praticou.
Denominam-se tolerantes, mas diante de um erro alheio, não perdem tempo para condenar.

Incentivam o fim de qualquer tipo de preconceito, mas acabam sempre julgando as atitudes dos outros.
Espalham que são solidários, mas intimamente se contentam com o fracasso de alguém.

 

A inveja não faz parte do seu vocábulo, mas o sucesso alheio os incomodam.
Se definem grandes trabalhadores, mas não possuem tempo para auxiliar.

Derramam inúmeras lágrimas em nome de Deus, mas são incapazes de suavizar a dor de um necessitado.
Demonstram-se desapegados a bens materiais, mas batalham para conseguir, cada vez mais, títulos e riquezas.

 

Consideram-se serenos, mas diante de qualquer adversidade perdem a tranqüilidade.

Declamam discursos belíssimos, mas a fé não está presente em nenhum dos versos recitados.
Esperam por grandes milagres e esquecem de que o milagre somos nós mesmos.
Assumem o papel de sofredores, mas a dor não os leva a reflexão.


Querem ter asas, mas o vôo é sempre solitário.

Espalham que são desapegados como Cristo, mas esperam que todos os seus caprichos sejam atendidos.
Apresentam-se como obreiros do bem, mas procuram espalhar sentimentos de discórdia por onde passam.
Tentam ser perfeitos e esquecem que todos nós estamos em processo de evolução.
Praticam a oração, mas não refletem sobre os atos cometidos.


Vigiam os deslizes alheios, mas não reparam em seus próprios pensamentos.
Sonham com grandes realizações, mas destroem as sementes da esperança.

 

Almejam o paraíso...

Sim, muitos de nós, almejamos o paraíso eterno, mas nos esquecemos que para chegarmos até lá, precisamos antes, iniciar a nossa caminhada aqui na terra.
Devemos nos empenhar em fazer um mundo melhor.


Devemos abandonar as máscaras que usamos e semear o
verdadeiro amor.
D
evemos não ter medo de estender a mão quando preciso.

Devemos reconhecer que temos muitos erros, mas estamos a caminho da perfeição.
Devemos olhar quem está ao nosso lado e que talvez precise apenas desse simples olhar para ter coragem de continuar.

 

Devemos respeitar as idéias contrárias às nossas.

Devemos ser humildes de verdade e valorizar o dom que Deus deu a cada um de seus filhos.
Devemos compreender que cada religião tem a sua crença e que se houver amor ao Pai e ao próximo, então todas estão corretas e nos conduziram, a sua maneira, ao paraíso que almejamos e acreditamos.

E que não amanhã, mas hoje, possamos começar a caminhar em direção ao que almejamos.
Se almejamos o paraíso, façamos do local que hoje estamos, um pedaço dele.


E se realmente queremos nos encontrar com Deus, deixemos as portas do coração abertas. Assim, chegaremos ao paraíso que almejamos...

 

 

Category : HISTÓRIA, FILOSOFIA, TRADIÇÃO, MITOLOGIA Print

| Contact author |