"> Ensinamentos de Sathya Sai - ASTROLOGIA CÁRMICA | Bloguez.com - Bloguez.com
 

 Ensinamentos de Sathya Sai Baba

10/1/2009

 

Só há uma casta, a casta da humanidade;

Só há uma linguagem, a linguagem do coração;

Só há uma religião, a religião do amor;

Só há um Deus, e Ele é Onipresente.

 

And the word was God, pág. 319

 

Amor como pensamento é Verdade.

Amor como ação é Retidão.

Amor como sentimento é Paz.

Amor como compreensão é Não-violência.”

 

Digest, pág. 196

 

Se você deseja Deus, terá que desenvolver a sagrada qualidade do Amor.

Somente através do amor você estará apto a experienciar Deus,

que é o próprio Amor.

 

Digest, pág. 195

 

Deixe seus pensamentos, palavras e ações serem inundados de amor.

Deixe sua vida ser preenchida com amor.

Nada mais é solicitado para se ter a visão do Divino.

O amor é Deus, vivam em amor.

 

www.sathyasai.org.br, discurso divino: "O Poder do Amor

 

Se alguém diz que Deus não existe, responda: ‘Talvez o seu Deus não exista para você, mas o Meu Deus existe para mim.

Você não tem o direito de questionar a existência do Meu Deus.’ Você deve argumentar com convicção. Tal argumento irá silenciar a pessoa.”

 

www.sathyasai.org.br, discurso divino: "Conheça sua Verdadeira Identidade

 

“ A verdadeira devoção é a que permite ao seu amor fluir constantemente em direção a Deus, sem esperança de qualquer recompensa.”

 

Digest – pág. 94

 

“Devoção é a expressão do amor. A emoção a que chamamos amor emana do Eu Superior (Atma). Amor é sinônimo de Atma.”

 

Digest – pág. 93

 

Define-se Dharma como Ação-Correta, Retidão. Este não é o significado mais apropriado. Dharma, por si só, é a verdade. Assim, o que nasce da Verdade é Dharma. Para o fogo, a capacidade de queimar é Dharma. Quando este não pode queimar, não pode ser fogo: torna-se apenas carvão. O Dharma do açúcar é a sua doçura. Se não há doçura, não pode ser açúcar, mas apenas pó. Assim, se nós não manifestarmos nossa consciência, não seremos Dharma. Devemos, em tudo, seguir nossa consciência. Existem dois tipos de Dharma: um é o Dharma mundano, e o outro é o que se origina da divindade. Seguir a Vontade Divina é o verdadeiro Dharma. Em tudo, a pureza do coração é importante. O primeiro passo é: o que ensinamos aos outros, devemos praticar. Esta é a verdadeira natureza humana. Qual é a razão para que Sathya (Verdade), Dharma (Retidão), Shanti (Paz), Prema (Amor) e Ahimsa (Não-violência) não estejam sendo preservados atualmente? A propagação e a publicidade destes valores está sendo feita, sem que os mesmos estejam sendo praticados.Vocês devem mostrar, pelo falar e pelo exemplo, que o caminho da auto-realização é o que conduz à alegria perfeita. Conseqüentemente, sobre vocês repousa grande responsabilidade: a de demonstrar por sua calma, serenidade, humildade, pureza e virtude, coragem e convicção em todas as circunstâncias, que o caminho por vocês percorrido os tornou pessoas melhores, mais felizes e mais úteis. Pratiquem. Demonstrem.”

 

Sri Sathya Sai Bal Vikas - Maio/94

 

 

 “A palavra Dharma, que está realmente relacionada com uma infinita variedade de significados, está sendo inadequadamente descrita, na era moderna, por uma palavra – dever. Dever é apenas aquilo que está conectado com uma condição individual, ou com uma época ou país em particular. Por outro lado, o Dharma é eterno, o mesmo para todos em todos os lugares. Ele expressa o significado do Ser Interno (atma). O lugar de nascimento do Dharma é o coração. Aquilo que emana do coração como uma idéia pura, quando traduzido em ação é chamado Dharma. Se tivesse que dizer de uma maneira que se pudesse entender, a pessoa poderia dizer ‘faça aos outros o que você quer que façam a você; isto é Dharma. O Dharma consiste em descartar ações que iriam ferir os outros. Se alguém causa felicidade a você, então, você, em retorno, deveria fazer coisas que causassem felicidade aos outros. Quando nós reconhecemos que o que os outros fazem irá causar dificuldades e fazemos mesmo, isto é adharma (ausência de retidão).”

 

Digest, pág. 95

Obs: a palavra Dharma é geralmente traduzida como retidão, ação correta, dever, mas, de acordo com o contexto, também pode se referir à Lei Eterna ou Ordem Cósmica, à Religião Eterna, à missão do indivíduo no mundo

 

“Existem 7 facetas do Dharma (aqui, no sentido de retidão ou ação em harmonia com a Lei Cósmica), assim como existem 7 cores contidas nos raios do sol. A primeira faceta do Dharma é a verdade. A segunda faceta é o bom caráter. A terceira é a conduta correta. A quarta é o controle dos sentidos. A quinta é a penitência ou austeridade. A sexta é a renúncia e a sétima é a não violência. Todas esta facetas foram estabelecidas para a proteção do indivíduo e o bem-estar da sociedade.”

 

Sai Baba – Digest, pág. 97

 

“Para descobrir o que é correto (Dharma) e o que é incorreto (adharma), aplique este simples teste: se vai contra a Verdade e o Amor, é incorreto; se promove a Verdade e o Amor, ou é repleto destes, é correto.”

 

Sai Baba -Sathya Sai Speaks, vol. XVI, pág. 86

 

“Vocês Me pedem mil coisas do mundo, mas raramente pedem por Mim.”

 

Digest -pág. 209

 

“Vocês vêm a Mim dizendo: “Eu quero Paz”. Removam o “Eu” (ego) e o “quero” (desejo), e o que resta é “paz” (sua verdadeira natureza).”

 

Sai Baba and You: Practical Spirituality - pág. 09

 

“Cuidem, até onde seus meios lhes permitam, de satisfazer as necessidades dos pobres, que são, em realidade, manifestações do Divino. Dividam com eles qualquer alimento que tenham e façam-nos felizes.”

 

Ensinamentos - pág. 25

 

“Não deve haver sentimento de comiseração ao prestar serviço. Considere-se como um servo devotado, pronto para fazer qualquer tarefa. As atividades de serviço feitas com este espírito conduzirão à realização Divina através da extinção do ego.”

 

Lições do Avatar

 

“O silêncio é a única linguagem do homem realizado. Pratiquem moderação no falar. Isto irá ajudá-los de muitas formas. Isto vai desenvolver Prema (Amor Divino), pois muitos desentendimentos e separações surgem de palavras descuidadas. Quando seus pés escorregam, a ferida pode sarar; mas quando a língua escorrega, a ferida causada no coração de outros durará por toda vida. A língua é responsável por quatro grandes erros: falsidade, escândalo, encontrar faltas nos demais e falar demasiadamente. Todos estes males devem ser exterminados para que exista Shanti (Paz) para o indivíduo, bem como para a sociedade.”

 

Sathya Sai Speaks. Vol. I – pág. 62

Tags : sai baba
Category : HISTÓRIA, FILOSOFIA, TRADIÇÃO, MITOLOGIA Print

| Contact author |