"> O CARMA - Eckarte - ASTROLOGIA CÁRMICA | Bloguez.com - Bloguez.com
 

 O CARMA - Eckarte Tolle

28/8/2011

 

 

nascmateria

 

Pergunta: Fala-se da Presença do Ser como a chave para desfrutar da forma e criar circunstâncias positivas ou circunstâncias mais atenuadas. Como se encaixa o carma em tudo isso?

 

E.T.:Todosnasceram num determinado ambiente externo. Do mesmo modo, todos nasceram com determinadaspredisposições – podem ser parcialmente genéticas, podem ser outras coisas.

Por outras palavras,uma pessoa nasce com certos padrões. Não precisamos de examinar de onde é que eles vêm,mas o fato é que um ser humano nasce num determinado ambiente.

Pode ser violento oupode ser relativamente pacífico. Uma pessoa nasce com padrões internos que herda. Até mesmo ocorpo de dor é, em parte, herdado.

Existe todo umconjunto de condicionantes que acontecem quando entram num ambiente.

O ambiente condicionamais e não existe escolha envolvida – são apenas influências.

Vocês encontram-seneste mundo com certos padrões inconscientes que se tornaram a

condicionante de quemé a pessoa. O carma, tal como eu o vejo, é a condicionante

inconsciente que gerea vossa vida. O carma é, em parte, coletivo e, em parte, pessoal.

Podem compreender ocarma não como um tópico abstrato exterior a vocês,

podem apenascompreendê-lo observando-se a vocês mesmos e então saberão muitas

outras coisas. Sequerem compreender o carma, precisam de olhar para vocês mesmos.

Eu comecei a entendero carma quando alguma coisa que não fazia de todo parte do

carma surgiu. Eis achave – o surgimento da consciência, ou Presença, ou despertar

espiritual, não éparte do carma. É outra dimensão que invade o reino cármico.

Vocês não se tornamdespertos por acumularem, como se diz por vezes no Oriente,

“bom carma”. Isso estábem a este nível, podem tornar as paredes ou os móveis

da vossa prisão umpouco mais confortáveis, mas há algo completamente para lá do

carma que entra navossa vida num ponto qualquer.

O re-nascimento é,naturalmente, parte do carma. O significado mais profundo de renascer é a identificação coma forma. Não precisamos sequer de acreditar na transmigração, ou no que quer que seja,podem olhar para o re-nascimento na vossa própria vida. 

De cada vez que se identificam com umpensamento que surge, que é a forma, nascem para esse pensamento.

A vossa identidade, ovosso sentido do eu está nele. Isso é carma. O vosso carma é a

identificaçãoinconsciente com esses padrões que herdaram – o condicionado. É a identificação completa daconsciência com os padrões condicionados. A consciência está a sonhar, podia-se dizer. 

É por isso queusamos a palavra “despertar” em muitas tradições espirituais. A consciência está a despertar, aconsciência está como que num estado de sonho quando estão identificados com os padrõesinconscientes. Muitas vezes por dia, vocês re-nascem numa reação emocional ou mental nospensamentos que surgem.

O carma cria, noexterior, a confirmação de que está correto. Assim, se pensam que o mundo está cheio de pessoasmás, irão encontrar muitas pessoas más – por outras palavras, pessoas inconscientes. Mesmoas pessoas que estão a meio caminho entre serem conscientes e inconscientes, as suascrenças vão puxá-las para a inconsciência. O carma é a ausência completa da Presençaconsciente. É automático. Realiza-se a si próprio.


O tempo não os libertado carma. Este é um mal entendido que, se vocês simplesmente gastarem temposuficiente, podem ficar simplesmente livres do carma. O carma renova-se a si mesmo e repete-se asi mesmo. A única coisa que pode libertá-los do carma é o surgimento da Presença. A umponto qualquer na roda do carma, a Presença pode entrar. Isso pode acontecer numa prisão,condenados à morte. Pode acontecer a alguém que nunca ouviu falar de nada espiritual. Podeacontecer a alguém que tem vindo a meditar durante 30 anos.

A Presença liberta-osdo carma. Não de todo de uma vez. O carma tem um enorme ímpeto.

Os padrões depensamento, os padrões emocionais, os padrões reativos. À medida que a

Presença surge, gradualmenteo carma diminui e irão experimentar um desaparecimento

desses padrões. Nãoque isso importe assim tanto já porque, uma vez que estão presentes,

esses padrões podemainda aparecer mas já não é problemático. Eles já não provocam o

sofrimento que teriamcausado antes porque são vistos à luz da consciência. À luz da

consciência, ospadrões já não dominam a vossa vida.

O corpo de dor fazparte do carma, que pode ser forte em alguns e nem tanto em outros.

À medida que aPresença surge, vocês são libertados do carma. Então, vocês têm um

outro elementocompletamente diferente entrando na vossa vida. Por exemplo, para

uma pessoa ficar livredo carma coletivo precisa que uma quantidade considerável

de Presença entre. Elaentão irá removê-lo internamente ou pode encontrá-lo em

qualquer outro lugar.

Para uma pessoa quenasceu num grande carma coletivo, é necessária uma considerável

Presença para não seser atraído para ele. Quando Hitler entrou no poder, muitas

pessoas não foramcapazes de se retirar. Algumas foram, e partiram. Elas puderam

ver o que estava aacontecer e foram suficientemente fortes para não se identificarem

com o coletivo. Parase retirarem do carma coletivo é preciso uma considerável

Presença – e algumaspessoas tinham-na. É o vosso destino, então, ultrapassarem

o carma sendo osreceptáculos para a Presença.

Todos os que estão adespertar irão achar, mais cedo ou mais tarde, que se tornam uma

espécie de professorespara os outros. O que um professor espiritual faz é realçar a

possibilidade dedespertar da identificação com os padrões inconscientes.

Os professoresespirituais ensinam-vos a irem para além do carma. Essa é a vossa

função e irá tornar-secada vez mais, quer vocês se tornem um professor formal ou um

professor informal.

Despertar espiritual edeixar o carma são a mesma coisa. Muitas pessoas serão atraídas

para vocês. Todos osque estão a passar por um processo de despertar são já

professores. Ensinarsignifica acharem-se a escutar a partir da vastidão do espaço,

quando alguém fala oupõe uma questão ou vos conta sobre os seus problemas.

Podem descobrir que aresposta surge dessa Quietude na qual vocês escutam.

Vocês não sentem“Agora vou ensinar esta pessoa”. Descobrirão que ensinar

é espontâneo. Ajudarãopessoas a saírem da identificação com a inconsciência,

o que significaultrapassar o carma. Isto aplica-se a todos os que estão a despertar.

Enquanto ensinam, aConsciência torna-se alinhada com a vossa mente. A vossa

mente é capaz de sesintonizar com a Consciência mais profunda e pode ser

usada como uminstrumento. Então, as palavras saem da vossa boca. Em

última instância,existe apenas um único professor, a Consciência desperta é

o professor. Ela podeensinar apenas aqueles em que existe um grau de

prontidão. Oensinamento precisa de ser recebido. Se existir apenas uma

densidade da mente, oensinamento não acontecerá.

Ficarão admiradosquando as pessoas forem atraídas para vocês –

pessoas que estãoprontas – e achar-se-ão a dizer algo que nem sequer

sabiam. É somentequando a questão é colocada que a Consciência responde.

À medida que ensinam,vocês aprendem. As percepções surgem. Ensinar e

aprender é o mesmoprocesso. Enquanto ensinam, tem lugar um aprofundamento.

Vocês estão aqui paraajudar as pessoas a ultrapassarem o carma.

A coisa importante asaber é que o tempo não vos liberta do carma. A mente

egóica diz “Eu precisode mais tempo para me tornar livre”. As pessoas só

podem precisar de maistempo para perceberem que não precisam de

tempo”. Podem sernecessários outros vinte anos de sofrimento para perceberem

que não precisam detempo. Podem precisar de sofrer um pouco mais antes de

perceberem o poder dointemporal. O intemporal é, claro, o fim do carma. 

 

 ©Direitos de Autor 2008 – 2011. Eckart Tolle. Todos os direitos reservados.

http://www.eckharttolle.com/

Tradução:Ana Belo anatbelo@hotmail.com

por SONIA  GOMES [share@anjodeluz.ning.com]


Category : HISTÓRIA, FILOSOFIA, TRADIÇÃO, MITOLOGIA Print

| Contact author |