"> UFOLOGIA - SERES REPTILIANOS NO PLANETA - ASTROLOGIA CÁRMICA | Bloguez.com - Bloguez.com
 

 UFOLOGIA - SERES REPTILIANOS NO PLANETA TERRA (final)

14/12/2010

repteis

 

Quando você vai com o fluxo da vida e escuta a sua intuição, te é mostrado o que você precisa conhecer pela incrível sincronicidade que diariamente te circunda e te guia através das cortinas de fumaça e dos conjuntos de espelhos. Num dia de fevereiro de 1998, em Johannesburg na África do Sul, eu passei quase cinco horas conversando com um xamã zulu, chamado Credo Mutwa. A palavra Zulu significa Povo das Estrelas, porque eles acreditam que eles são uma raça da realeza que se originou fora deste planeta. Nós conversamos sobre a manipulação global e sua crença de que uma raça extraterrestre está por trás da Irmandade global de monarcas, políticos, banqueiros e donos da mídia. Mais tarde eu voltei para a casa onde eu estava hospedado e escrevi os pontos principais que ele mencionou, em meu computador laptop, antes de descer para o salão à noite. Quando eu sentei, um filme estava começando, chamado The Arrival [36], e tratava de uma raça extraterrestre tipo-réptil que tinha conquistado o planeta operando através de corpos humanos e aparentando serem humanos. Alguém estava tentando me dizer algo! E este algo é a verdade. Um outro filme menos conhecido que eu vi próximo desta ocasião era chamado de They Live [37] e, novamente, o tema era de uma raça extraterrestre que conquistava o mundo trabalhando através de corpos físicos humanos. Alien Resurrection [38] foi um outro que usava o tema reptiliano com a implicação de que os alienígenas estavam ocupando os corpos dos humanos. Mas o mais perto que um filme chegou da verdade é a série de televisão americana dos anos 1980, chamada V [39]. Ela conta sobre uma raça reptiliana extraterrestre que conquista o mundo usando uma forma humana. O filme mostra os répteis cobertos com uma pele que lembra o látex, que não é como a coisa funciona na realidade, mas a temática da série está certa e dá um sabor antecipado das coisas que vêm por ai; a não ser que nós acordemos logo. Eu recomendo fortemente que você pense sobre assistir os vídeos de V, para ter uma sensação visual sobre os temas que eu estou expondo neste livro.

Um dos pesquisadores principais deste fenômeno tem sido o americano Alex Christopher, autor dos livros Pandora’s Box, Volumes I e II, que revela, em parte, a presença reptiliana neste planeta. Alex tem visto reptilianos e o que ela chama de Cinzentos de Olhos Grandes. Uma noite em Panama City, na Flórida, ela diz que ela foi chamada, às 2:30 da madrugada pelos seus frenéticos vizinhos, uma mulher e seu companheiro, um piloto de linha aérea comercial. Quando ela correu para a casa deles, ela encontrou a mulher desmaiando, deslocando-se para baixo na parede com seus olhos girando. Alex disse que ela sentiu uma energia incrível no quarto, que parecia estar tentando penetrar na sua cabeça. Certamente existia radiação, ela disse, e no dia seguinte todas as plantas do quarto estavam mortas. Ela agarrou o casal e os levou para fora onde eles conversaram um pouco. Eles disseram que eles estavam fazendo sexo quando o incidente começou e isto é muito significativo, porque os reptilianos se alimentam das emoções humanas e da energia sexual, o que é uma razão porque o sexo é tão fundamental nos rituais satânicos feitos para os ‘demônios’ – este grupo reptiliano. O casal disse que eles viram um flash de luz e, então, eles foram arrancados para fora da cama. O homem ainda tinha uma impressão de uma palma na sua lateral feita por dedos que deveriam ser de dez polegadas de comprimento com garras que queimaram sua pele. No dia seguinte aquele local estava tão dolorido que ele não conseguia tocá-lo, e Alex Christopher tem um vídeo gravado disto. Quando o casal tinha se acalmado e Alex foi embora para sua cama em sua casa, ela ficou face-a-face com um reptiliano:

 

“Eu acordei e existia esta “coisa” em pé na minha cama. Ele tinha olhos amarelos com pupilas tipo cobra e orelhas pontudas, e um sorriso que dava volta na sua cabeça. Ele tinha uma vestimenta prateada e isto me apavorou. Eu coloquei as cobertas sobre minha cabeça e comecei a gritar...quero dizer, aqui estava esta coisa com sorriso de gato e esses olhos reluzentes...isso era demais para mim. Eu vi este tipo de ser em mais de uma ocasião... Ele tinha um nariz adunco e tinha uma aparência bem humana, tirando os seus olhos e aquele tipo de pele acinzentada...

...Mais tarde em 1991, eu estava trabalhando em um edifício em uma grande cidade, e eu tinha tirado um descanso às 6 da tarde e a próxima coisa que eu lembrei foi quando era 10:30 da noite, e eu pensei que eu tinha tido apenas um pequeno intervalo de descanço. Eu comecei a lembrar que eu fui levada a bordo de uma nave espacial, através dos quatro andares do edifício e através do teto. Lá na nave é onde eu encontrei alemães e americanos trabalhando juntos, e também alienígenas cinzentos, e então nós fomos levados para algum outro tipo de local e lá eu vi novamente reptilianos... aqueles que eu chamo de “Godzillas Bebês” que possuem dentes pequenos e olhos inclinados amarelos...As coisas que ficaram gravadas na minha mente foram os seres que parecem-se com répteis, ou “velcoci-rapters”. Eles são os seres mais cruéis que você possa imaginar e eles inclusive tem um cheiro horrível.”

 

A bordo da ‘nave’ ela lembra de ter visto os alemães e os americanos usando uma insígnia no formato de um triângulo azul com um dragão de olhos vermelhos e um círculo em volta disso. Um contato posterior disse a ela que ela viu o mesmo símbolo em Fort Walden, nos Estados Unidos. Um símbolo de uma serpente com asas podia ser visto na manga de um soldado israelense, quando ele confortava a filha do Primeiro Ministro assassinado, Yitzhak Rabin, no funeral de seu pai em 1995. (Veja a revista Newsweek, de 20 de novembro de 1995). Uma das especialidades de Alex Christopher é o novo Aeroporto de Denver que tem a reputação de ser um acobertamento para uma profunda base subterrânea para reptilianos-humanos. Certamente é um local estranho. A primeira vez que eu conversei sobre estes assuntos de conspiração nos Estados Unidos foi em Denver, em agosto de 1996, e eu tinha pousado no Aeroporto de Denver sem nenhuma idéia de sua fama. Mesmo assim, assim que o avião pousou eu senti uma energia muito estranha, muito esquisito e desagradável. O aeroporto foi construído com um custo enorme em um terreno aberto a uma distância grande de Denver e ele está cheio de símbolos maçônicos. Existem também gárgulas, as figuras de répteis com asas que você encontra nos lares oficiais da aristocracia reptiliana na Bretanha e nas igrejas e grandes catedrais da Europa que foram construídas pela rede da Irmandade. Existem também gárgulas em um edifício da Dealey Plaza onde o presidente Kennedy foi assassinado e, agora, eles aparecem novamente em um moderno aeroporto construído em uma alegada base subterrânea reptiliana. Gárgulas são símbolos dos reptilianos e isso é o motivo porque você encontra eles no aeroporto de Denver. A pedra dedicatória no aeroporto apresenta o clássico símbolo do compasso dos maçons e ele fica na parte do terminal chamado O Grande Saguão [The Great Hall], outro termo maçônico. Em uma parede existe um mural grotesco cheio de simbolismo maléfico, que inclui três ataúdes com mulheres mortas neles: uma menina judia, uma americana nativa e uma mulher negra. Uma outra garota está segurando um tablete maia que fala da destruição da civilização. Um enorme personagem, descrito como um ‘Darth Vader verde’ por Alex Christopher, está em pé sobre uma cidade destruída com uma espada em sua mão e mulheres estão caminhando em uma estrada carregando bebês mortos. Todas as crianças do mundo são apresentadas pegando armas de todos os países e entregando-as para a figura de um rapaz alemão com um punho de ferro e uma bigorna em sua mão. A cidade de Denver está aparentemente agendada para ser o quartel-general do setor oeste dos Estados Unidos sob o estado fascista global conhecido como Nova Ordem Mundial que está planejada para além do ano 2000. A cidade de Atlanta é dito que será o centro do setor leste e eu me lembro de ter pensado, há alguns anos atrás, como o projeto dos aeroportos de Denver e Atlanta eram tão similares – agora eu sei porque.

 

O estado do Colorado é um dos centros principais para a Nova Ordem Mundial e a rainha da Inglaterra, usando outro nome, tem comprado terras por lá. Como você verá posteriormente, a família real britânica está massivamente envolvida nesta estória e assim como o assassinato de Diana, a princesa de Gales. Um dos principais contatos de Christopher era uma pessoa chamada Phil Schneider, o filho de um comandante de barco-U alemão na Segunda Guerra Mundial, que estava comissionado para construir um certo número de bases subterrâneas profundas nos Estados Unidos. Eu vi algumas de suas palestras em vídeo quando ele começou a falar publicamente sobre a rede subterrânea de bases, cidades e túneis em todo os Estados Unidos. Posteriormente ele morreu em circunstâncias muito suspeitas que foram ajustadas para parecerem um ‘suicídio’. Schneider disse que o aeroporto de Denver estava conectado com uma base subterrânea profunda que possuía pelo menos oito níveis em profundidade. Ela incluía uma cidade subterrânea de 4,5 milhas quadradas e uma vasta base, ele disse. Outros contatos que estiveram no subsolo do aeroporto de Denver afirmam que existem grandes números de escravos humanos, muitos deles crianças, trabalhando lá sob o controle de reptilianos. Duas das bases que Phil Schneider afirma ter ajudado a construir são a infame Área 51 em Nevada e a Dulce no Novo México, que está conectada por uma rede de túneis com o Laboratório Nacional de Los Alamos. Eu estive em Los Alamos e as vibrações lá são simplesmente horríveis. Após falar sobre o envolvimento reptiliano nos afazeres humanos, no show de rádio Sightings nos Estados Unidos, me foi enviado um documento por um soldado do exército alocado na superfície, na cidade de Dulce. Ele percebeu que existia algo ‘muito estranho’ no local, mas ele não conseguia explicar o porquê. Ele lembrou:

 

 “Eu estava trabalhando em uma tarefa de rotina quando um outro alistado jovem, um mecânico, veio com um tarefa pequena, mas rápida, que ele queria que fosse soldada imediatamente. Ele tinha o impresso e começou a me mostrar exatamente o que ele queria. Nós estávamos ambos curvados sobre a bancada em frente ao soldador quando eu dei uma olhada diretamente em seu rosto. Ele pareceu ficar rapidamente coberto com um filme semi-transparente ou nuvem. Suas feições desbotaram e em seu lugar apareceu uma ‘coisa’ com olhos saltados, sem cabelo e escamas no lugar da pele.”

 

Ele mais tarde viu a mesma coisa acontecer a um guarda no portão de entrada de Dulce. Outra testemunha disse ter visto mais camaleões-reptilianos trabalhando no Hospital Militar Madigan, próximo do Forte Lewis, ao sul de Seattle no Estado de Washington. Novamente, eu fiz palestra naquela região e achei tudo muito extranho, como ter um centro ‘Nova Era’ perto do Forte Lewis. Jason Bishop III conduziu estudos detalhados sobre a operação em Dulce e concluiu sobre o envolvimento de um cartel que eu exponho no livro...And The Truth Shall Set You Free [...E a Verdade o Libertará], que inclui organizações tais como a Rand Corporation, General Electric, AT&T, Hughes Aircraft, Northrop Corporation, Sandia Corporation, Stanford Research Institute, Walsh Construction, the Bechtel Corporation, the Colorado School of Mines e outras. Bechtel é uma ligação importante na rede da Irmandade reptiliana. Existem pelo menos sete níveis subterrâneos em Dulce, provavelmente mais, e Bishop compilou registros de trabalhadores de lá que descreveram o que eles viram. Suas narrativas espelha as descrições dos anunnaki nos textos sumérios, quando eles cruzaram espécies para produzir muitos tipos hediondos de híbridos. Isto é o que trabalhadores disseram sobre Dulce:

 

“O nível número seis é privadamente chamado de “Saguão do Pesadelo”, ele abriga os laboratórios genéticos. Relatórios de trabalhadores que viram experimentos bizarros, são assim: ‘Eu vi humanos multipernas que pareciam meio humano, meio polvo. Também humano-reptilianos e criaturas peludas que possuem mãos como humanos e que choram como bebês, que simula palavras humanas...também uma enorme mistura de humanos-lagartos em jaulas.’ Existem peixes, focas, pássaros e camundongos que mal podem ser considerados dessas espécies. Existem várias jaulas (e tonéis) de humanóides com asas, criaturas grotescas assemelhadas a morcego...mas com 3,5 a 7,0 pés de altura. Seres semelhantes a gárgulas e Draco-reptóides.

 

 “O nível número sete é pior, alas após alas de milhares de humanos e misturas humanas em armazenamento no frio. Aqui, também, existem tonéis de armazenamento de embriões de humanóides em vários estágios de desenvolvimento. (Um dos trabalhadores disse:) ‘...Eu freqüentemente encontrava humanos em jaulas, geralmente atordoados ou drogados, mas algumas vezes eles choravam e pediam por ajuda. Nos era dito que eles eram loucos sem qualquer esperança de recuperação, e freqüentemente em testes de drogas de alto risco para curar a insanidade. Nos era dito para nunca tentar conversar com eles. No começo nós acreditamos nessa estória. Finalmente, em 1978, um pequeno grupo de trabalhadores descobriu a verdade.”

 

Esta descoberta aparentemente levou às ‘Guerras de Dulce’, uma batalha entre humanos e os extraterrestres em 1979, quando muitos cientistas e pessoal militar foram mortos. Phil Schneider afirmava ter tomado parte em uma troca de tiros com os alienígenas em Dulce na qual ele foi atingido por uma arma a laser que abriu o seu peito. Ele realmente tinha uma cicatriz enorme em seu peito, que ele revelava publicamente. A base foi fechada por um certo tempo como resultado deste conflito, mas foi reaberta posteriormente. Uma outra base subterrânea reptiliana está sob o Canyon Boynton, em Sedona no Arizona. Acredita-se que o centro desta base está no, chamado apropriadamente, Canyon Secreto. Bases semelhantes e cidades subterrâneas existem em todo o mundo e elas são interconectadas por túneis com metrôs incrivelmente rápidos. Esses túneis são construídos muito rapidamente por tecnologia como a do Subterrene, uma máquina com alimentação nuclear que funde a rocha e a amolda na forma das paredes do túnel. Ela foi desenvolvida em Los Alamos. É significativo que os testes nucleares subterrâneos foram feitos em Nevada e no Novo México, o local de muitas instalações subterrâneas profundas que tem sido vinculadas com os reptilianos. Será que esses ‘testes’ foram feitos lá para abrir vastas cavernas subterrâneas? Um outro tema que eu tenho tido através de muitos contatos é que os reptilianos podem se alimentar de energia nuclear.
 

Como eles se parecem?

Resumindo toda a pesquisa que eu li, as pessoas com quem me encontrei, e os relatos daqueles que afirmam ter tido experiência com esses humanóides répteis, ou reptilianos, o que se segue parece ser verdadeiro. Existem muitas subraças e raças híbridas de reptilianos. A elite deles é conhecida pelos pesquisadores de UFO como o Draco [de Dragão]. Esses são os ‘grandes garotões’ em todos os sentidos, já que eles possuem geralmente entre sete e doze pés de altura. Eles possuem asas que são abas de pele suportadas por costelas longas [43]. As asas podem ser dobradas contra o corpo e elas são a origem do termo “serpentes com asas”. Eles também são a origem do termo ‘anjos caídos’ e os gárgulas com asas são simbolismos destes Draco. A capa usada pelo Conde Drácula é um símbolo dessas asas e o personagem de Drácula nas estórias de Bram Stoker é dito ser um anjo caído. O Draco com asas são também conhecidos como a Raça dos Dragões e alguns dos deuses da antiguidade são descritos e mostrados como homens-pássaro. Isto poderia ser uma das origens da Fênix e da águia no simbolismo da Irmandade, assim como os significados mais esotéricos. O Satã bíblico é mostrado como um reptiliano, também.

 

Alguns da hierarquia reptiliana dos Dracos são aparentemente brancos ou branco albino e, não, das cores usuais de verde ou marrom, e isto se liga com a descrição do estranho lagarto humanóide ‘albino’ no edifício em Aurora, perto de Denver. Os Dracos são a ‘realeza’ dos reptilianos e a casta mais elevada são a dos brancos albinos, que aparentemente possuem chifres cônicos no meio do caminho entre a sobrancelha e o topo da cabeça. Isso me chamou a atenção imediatamente porque os ‘deuses’ antigos e a realeza eram mostrados usando uma touca com chifres, simbólico desses reptilianos ‘reais’, estou certo. Outras espécies, como a classe dos soldados e cientistas, são conhecidos como Reptóides. Eles não possuem asas, mas todos eles possuem sangue frio. Suas escamas são muito maiores em suas costas e eles possuem três dedos com um polegar no lado oposto. Eles possuem três dedos nos pés com um quarto voltado para o lado do tornozelo e suas garras são curtas e grossas. Eles possuem olhos grandes e semelhantes a gatos que brilham na cor vermelha e têm uma boca que parece mais como uma ranhura. Alguns possuem olhos que são descritos como negros e outros são brancos com pupilas verticais com cor de flama. Novamente, isto é o que a senhora descreveu no caso de Aurora.

 

Os reptilianos possuem de cinco a doze pés de altura e eles são os ‘gigantes’ descritos tão profusamente nos registros e lendas antigas. Alguns possuem caudas, outros não. Um dos outros planetas que eles influenciam por longo tempo é reconhecido ser Marte e será que os híbridos répteis entre os marcianos brancos estiveram lá antes de virem para cá? Zecharia Sitchin também especula qqque os anunnaki foram a Marte antes de virem para a Terra. Isto certamente se encaixa na situação e pode bem ser que os marcianos brancos no cenário de Brian Desborough e os anunnaki podem estar ligados geneticamente por longo tempo. Uma alta sacerdotiza da hierarquia da Irmandade que rompeu suas amarras, pelo menos na ocasião que eu falei com ela, diz que os anunnki reptilianos invadiram Marte há muito tempo e a raça branca dos marcianos acabaram deixando aquele planeta e vieram para a Terra. Os anunnaki de Marte os seguiram, ela disse, apesar que eu não tenho dúvida de que alguns estão ainda lá em bases subterrâneas. Sempre que uma das sondas de Marte da NASA está na iminência de mostrar ao público algo que ele não deve ver, a ligação misteriosamente é interrompida ou a sonda desaparece completamente.

 

O que não tem dúvida é que a raça branca, qualquer que seja sua origem, tem sido o principal veículo do programa de hibridização dos anunnaki para a tomada do planeta Terra. Pesquisadores acreditam que os reptilianos são os controladores dos chamados Cinzas [greys], a figura clássica dos extraterrestres dos tempos modernos com seus grandes olhos negros. Os cinzentos estão presentes na maioria dos registros de abduções. Jason Bishop III, nos seus escritos sobre este assunto, diz que a hierarquia de controle é: Draco (reptilianos com asas); Draco (sem-asas); cinzentos; humanos. Parece também existir uma ‘aliança’ reptiliana com alguns outros grupos extraterrestres.

 

Tem sido sugerido que o sacrifício humano para os ‘deuses’ no mundo antigo, particularmente de crianças, foi em benefício dos reptilianos que exigiam esses rituais (uma característica do cérebro reptiliano é o ritual). Eu estou seguro de que isto é verdade e isso será extremamente relevante no final deste livro. No momento da morte via sacrifício, uma forma de adrenalina circula através do corpo e se acumula na base do cérebro e isto é, aparentemente, mais potente nas crianças [45]. Isso é o que os reptilianos e os seus híbridos desejam, é dito, e eles certamente se alimentam de carne e de sangue humanos. Esses sacrifícios na antiguidade eram para os deuses, literalmente, os reptilianos anunnaki, e eles continuam hoje em dia. Um traço comum de todas as pesquisas sobre os reptilianos é que eles não possuem emoção e não possuem sentimento e, no nível da quarta dimensão, eles se alimentam da energia das emoções humanas de baixa vibração, como medo, culpa e agressão. Quando nós emitimos tais emoções, essa energia não pode ser vista neste mundo porque ela ressoa com a freqüências baixas da quarta dimensão e aí ela é absorvida pelos reptilianos. Quanto mais dessas emoções possa ser estimulada, mais energia os reptilianos terão para aproveitar. É por isso que nós temos encorajamento para fazer guerras, genocídio humano, a matança em massa de animais, perversões sexuais que criam energia negativa altamente carregada, e sacrifício e rituais de magia negra, que ocorrem em uma escala que irá assombrar aqueles que não estudaram o assunto.
 

Filhos dos deuses

 

O programa de cruzamento reptiliano parece ter produzido um híbrido humano-anunnaki (Adão?) por volta de 200.000 a 300.000 anos atrás. Tenho certeza que outras raças extraterrestres também cruzaram com a humanidade para produzir a gloriosa variedade de pessoas na Terra, mas eu estou focando aqui sobre o grupo reptiliano por causa do desejo deles de controlar e manipular as atividades humanas. Claramente, quanto mais para trás você for, mais tenebrosa a estória se torna, mas existe suficiente evidências de suporte e via referências cruzadas para apresentar os temas do que aconteceu. Quanto mais eu olho isto, mais fica claro para mim que o que os reptilianos fizeram em Marte eles também fizeram aqui. Eles se infiltraram na população local através de cruzamentos genéticos e acabaram tomando o planeta. Parece que já existia a raça réptil-ariana entre os marcianos quando eles vieram para a Terra. Um dos principais locais para os anunnaki e os marcianos ou arianos, particularmente durante e após o cataclisma de Vênus por volta de 4.800 a.C., foram as montanhas da Turquia, Irã e Curdistão, e foi a partir daqui que eles e seus híbridos re-emergiram quando as águas retrocederam. Foram eles que criaram as civilizações ‘instantaneamente’ avançadas nas terras baixas da Suméria, Egito, Babilônia e no Vale Indiano. Um centro particular para os reptilianos anunnaki parece ter sido as Montanhas do Cáucaso e esta é uma área que irá aparecer repetidas vezes nesta estória.

 

Eu sinto que existiu um grande programa de cruzamento genético nesta região, provavelmente no subsolo, que produziu um número muito grande de cruzamentos híbridos réptil-humanos. Uma área de pesquisa que é altamente relevante para esta região é o número de pessoas com Rh negativo ou sangue rhesus negativo.Freqüentemente, bebês rhesus negativos tornam-se azuis imediatamente após o nascimento. Esta é a origem do termo ‘sangue azul’ para as linhagens reais e para outros termos como ‘verdadeiramente azul’. Especula-se que a linhagem ‘azul’ pode ser de descendentes marcianos e de onde as linhas marcianas vieram antes de lá. Muito mais pessoas brancas são Rh negativas que os negros ou asiáticos.

 

Os genes do Draco ‘real’ branco-albino parecem ter sido usados para criar as linhagens híbridas ‘reais’ réptil-humanas que têm sido usadas para governar o mundo desde os tempos antigos. Esses eram aqueles conhecidos pelos antigos como os semi-deuses, aos quais foi dada a tarefa de intermediários, controlando a população e fazendo o mundo funcionar conforme a Agenda de seus mestres répteis. O que é claro é que enquanto os anunnaki cruzavam com muitas raças da Terra, a raça branca tem sido o veículo principal deles para tomar o planeta e o Draco ‘real’ no topo da hierarquia deles são bancos albinos. Algo significativo, quando você olha os registros antigos, muitas das suas criações híbridas tinham cabelos loiros e olhos azuis. Uma mudança importante parece ter ocorrido logo após as convulsões provocadas por Vênus, porque a cultura Ubaid (5.000 a.C.), onde agora é o Iraque, venerava deuses que eram representados como humanóides-lagartos, enquanto os sumérios (4.000-5.000 a.C.), que viveram na mesma área, representam seus deuses como bem humanos. Esta mudança, e o programa de cruzamento na região do Cáucaso, estão fundamentalmente conectadas, tenho certeza. A elite híbrida anunnaki-humana era descrita pelos sumérios e existem muitos outros registros do cruzamento entre extraterrestres e humanos, ou dos ‘deuses’ e ‘povos do céu’ cruzando geneticamente com a humanidade. Isto é notado da forma mais famosa no Gênesis, onde está dito:

 

 “Quando os homens começaram a aumentar em número sobre a terra e as filhas nasceram deles, os filhos de Deus viram que as filhas dos homens eram belas, e eles casavam com qualquer uma que eles escolhessem...Os Nefilim estavam sobre a terra naqueles dias – e também depois – quando os filhos de Deus foram até as filhas dos homens e tiveram filhos delas. Eles eram os heróis da antiguidade, os homens de renome.” Gênese 6:1-4

 

 De acordo com as traduções de Zecharia Sitchin, a palavra Nefilim relaciona-se com “Aqueles que Desceram”, enquanto outros dizem que significa “os que caíram” ou “aqueles que caíram”. A palavra ‘renome’ nessa passagem do Gênesis é uma tradução da palavra suméria ‘shem’. Isto tem sido traduzido na bíblia como algo relacionado a ‘nome’, como em construir um nome para si mesmo como um homem de renome. Sitchin diz que o significado verdadeiro de ‘shem’ é ‘veículo do céu’. Ele diz que ela vem da raiz, shu-um, que significa ‘aquilo que é um MU’, e um MU era um artefato voador, ele diz. Portanto, ‘homens de renome’ torna-se ‘homens ou povo dos veículos do céu’. Eram esses que cruzaram com as mulheres humanas. Esta passagem do Gênesis, eu sugeriria, fala do cruzamento entre os extraterrestres ou intraterrestres com os humanos para produzir os híbridos réptil-humanos. O termo ‘filhos de Deus’ na realidade vem do hebreu, bene-ha-elohim, que na realidade se traduz por ‘filhos dos deuses’. Os primeiros nascimentos desses encontros genéticos foram os gigantes das lendas e existem muitos registros de que tais híbridos terem nascidos. Existem numerosos registros em todo o mundo antigo, em todos os continentes, de uma raça de gigantes e o Golias bíblico pode bem ter sido um símbolo dessas pessoas. Os americanos nativos possuem muitos contos do Povo das Estrelas que desceram dos céus para cruzar com as mulheres humanas e Alex Christopher diz que um denominador comum na abdução de humanos pelos reptilianos nos Estados Unidos parece se relacionar com a linha genética da pessoa, particularmente aquelas que regridem aos americanos nativos ou os índios antigos. Os índios Hopi, você deve lembrar, falam que eles se originaram de dentro da Terra.

 

O texto etíope, o Kebra Nagast (Nagas eram os ‘deuses serpentes’ da Índia que mudavam de forma), tem milhares de anos, e ele refere-se ao tamanho enorme dos bebês produzidos pelas uniões sexuais ou genéticas dos humanos com os ‘deuses’. Ele diz como: “...as filhas de Cain com as quais os anjos (extraterrestres) conceberam...não conseguiam fazer nascer suas crianças, e elas morriam.” Ele descreve como alguns desses bebês gigantes nasceram via parto cesariano: ...tendo aberto as barrigas de suas mães, eles saiam pelos seus umbigos.” [46] No texto hebreu antigo, o Livro de Noé, e em seu derivativo, o Livro de Enoque, um nascimento estranho é descrito de uma criança não-humana, que vem a ser o Noé famoso do Dilúvio. Referências a isto também aparece nos Manuscritos do Mar Morto, os registros da comunidade essênia na Palestina há 2.000 anos atrás, que incluiu muito material do Livro de Enoque. O filho estranho que os textos descrevem é o filho de Lameque. Ele é descrito como sendo diferente de um ser humano e mais parecido com ‘as crianças dos anjos do céu’. O filho de Lameque, Noé, é descrito como tendo pele branca e cabelo loiro com olhos que fazia toda a casa ‘brilhar como o Sol’. Seres com cabelos loiros e olhos azuis, com olhos tipo laser é uma descrição para pessoas misteriosas ou ‘deuses’ que atravessam milhares de anos até os dias atuais e aparecem em muitas culturas em todo o mundo. Lameque pergunta à sua esposa sobre o pai da criança:

 

 “Veja, eu pensava então dentro de meu coração que a concepção era (devido) aos Vigilantes e ao Os Sagrados...e aos Nefilim... e meu coração ficou perturbado no meu interior por causa desta criança.”

 No Shahnemeh ou Livro dos Reis, a história lendária do Irã completada em 1010 d.C. pelo poeta árabe Firdowsi, ele descreve o nascimento de um bebê chamado Zal, o filho de um rei chamado Sam. Novamente, o rei fica horrorizado pela aparência não-terrena do seu filho que tem um corpo muito grande ‘tão limpo como a prata’, cabelo tão branco como de um homem velho e ‘como neve’, e uma face semelhante com o Sol. Sam chama seu filho uma criança do demônio, uma criança dos devas – os Vigilantes. Como os patriarcas do Velho Testamento, os iranianos pareciam ter uma aversão a crianças que nasciam com feições extremamente brancas. E quem é dito ser extremamente branco, um branco albino? A hierarquia real dos Draco. O texto do Shahnemeh diz o seguinte de Zal:

 

Zal mais tarde casa com uma princesa estrangeira chamada Rudabeh, a filha de Mehrab, o rei de Karbul, e um descendente do rei serpente Zahhak, que diziam ter governado o Irã por mil anos. Esta era uma das linhagens reptilianas e concordando com isso, Rudabeh é descrito como tão alto quanto uma árvore teça, branco como marfim etc, as características familiares dos nascimentos dos vigilantes humanos. Estas descrições abundam nas linhagens reais do Irã e do Oriente Próximo, assim como suas comparações com árvores por causa de suas grandes estaturas. Parece, de seus textos, que você precisava ter as características físicas dos nefilim vigilantes para se qualificar para ser rei. Isto, sem dúvida, é a origem do ‘direito divino dos reis’, o direito de governar em virtude de sua linhagem familiar, um sistema que continuou quando essas linhagens se expandiram dentro da Europa. Até o título britânico de Sir, conferido pela rainha para seus súditos selecionados,vem de uma antiga deusa-cobra (reptiliana) chamada Sir, que se relaciona com a deusa anunnaki Ninlil ou Ninkharsag, nos tabletes sumérios. O marido dela, Enlil, era chamado de A Serpente Esplêndida dos olhos brilhantes. Seu irmão, Enki, era também conhecido como uma serpente e seu emblema era duas serpentes entrelaçadas, o símbolo de seu ‘centro de culto’ em Eridu, e da profissão médica moderna. O símbolo é conhecido como o caduceu.

 

Esta informação vem dos tabletes sumérios, como traduzida por Zecharia Sitchin e descrita em seus livros. Portanto, eu achei espantoso que Sitchin me disse pessoalmente que não existia evidência de uma raça serpente e me aconselhou para parar minha pesquisa nesses assuntos. A idéia de que não existe evidência é simplesmente cômica, e portanto por que Sitchin diz isso para mim? Ele foi inflexível de que eu deveria finalizar esta linha de pesquisa. Eu não tenho absolutamente dúvida de que os anunnaki e os vigilantes são a mesma raça reptiliana – as ‘serpentes dos olhos brilhantes’ identificados por Christian e Bárbara O’Brien no seu trabalho, Genius of the Few [“Gênios de Poucos”].

 

Autor e pesquisador, Andrew Collins diz que ele tem um figurino de cobre canaanita mostrando um de seus deuses em torno de 2.000 a.C [50]. Ele tem um pescoço de serpente e uma cabeça na forma da cobertura de uma cobra que se enrola para formar uma touca como uma cobra [51]. Durante os milhares de anos desde que estas linhagens híbridas reais de répteis humanos foram criadas, elas tornaram-se mais integradas na população em geral e menos óbvias fisicamente, mas a estrutura genética básica permanece e a Irmandade mantém registros genéticos bem detalhados de quem as tem e de quem não as tem. Christian e Bárbara O’Brien dizem, no Genius Of The Few, que se os anunnaki cruzaram geneticamente com a humanidade há centenas de milhares de anos atrás e novamente o fizeram cerca de 30.000 anos atrás, o resultado do segundo cruzamento seria uma estrutura genética com 75% anunnaki com 25% humana. Eu penso que existiu um outro programa de miscigenação bem mais recente, após o dilúvio de Vênus cerca de 7.000 anos atrás. Estas últimas linhagens seriam mais ainda anunnaki que as versões anteriores, obviamente.Esses são os híbridos reptilianos que governam o mundo hoje e é essa profusão de genes reptilianos que permitem a essas pessoas mudarem de forma para répteis e de volta pra uma forma aparentemente humana.

 

Essas linhagens também possuem a habilidade de produzir um olhar hipnótico extremamente poderoso, exatamente como uma cobra que hipnotiza sua presa, e isto é a origem da expressão “dar um mau olhado em alguém”. Tudo isso é a razão verdadeira para a obsessão com o sangue e a endogenia das famílias “sangue azul” e de seus descendentes. Esta é a razão, de desde os primeiros tempos da história conhecida, para que os herdeiros sangue azul se casem com suas meias-irmãs e primas, exatamente como os anunnaki faziam, de acordo com os tabletes sumérios. O gene mais importente nessa sucessão é passado pela linha feminina, e portanto a escolha da parceira sexual feminina tem sido vital para eles.

 

É altamente significativo que a linhagem dos ‘reis serpentes’ tenha se originado no Irã, porque é desta região do Irã, Curdistão, Armênia, Turquia e das Montanhas do Cáucaso, que estas linhagens réptil-humanas emergiram para tomar o mundo. Uma pessoa de dentro da Irmandade, um russo, disse que existia um enorme vórtice, um portal interdimensional, nas Montanhas do Cáucaso onde os extraterrestres entraram nesta dimensão. Isto poderia explicar muitas coisas. O nome Irã [Iran] vem de algo anterior Airy-ana ou Air-an, que significa Terra dos Aryas ou Arianos [52]. Até hoje existem duas raças distintas no Curdistão, os de pele oliva de estatura média e olhos escuros, e os muito mais altos, pessoas de pele branca, geralmente de olhos azuis. Você irá notar que esses traços eram considerados a ‘Raça Mestre’ pelos nazistas e isto aconteceu porque os nazistas sabiam da história e da conexão com os reptilianos. Andrew Collins, em seu livro From The Ashes Of Angels [“Das Cinzas dos Anjos”], apresenta uma evidência forte de que o bíblico Jardim do Éden estava localizado na região alta do Irã-Curdistão e, obviamente, o tema da serpente está no coração da estória do Éden. Na vizinha Media, os reis eram conhecidos pelos iranianos como Mâr que significa cobra em persa [53]. Talvez Mars [Marte] = cobra? Eles eram chamados de ‘dinastia do dragão de Media’ ou os ‘descendentes do dragão’ [54]. Eu não tenho dúvida de que o Draco reptiliano cruzou com os humanos para produzir híbridos dentro da raça branca e, inclusive, existem muitas pessoas em todo o mundo que afirmam ter cruzado geneticamente com os reptilianos. Em 2.200 a.C. a Corte Real do Dragão foi fundada no Egito pelos sacerdotes de Mendes e isso ainda continua hoje, 4.000 anos depois, como a Corte Real e Imperial da Soberania do Dragão, agora sediada na Grã-Bretanha.

 

Alguns chamam isso a Irmandade da Cobra. Os primeiros reis da Suméria, Egito e, mais tarde, de Israel, eram ungidos durante sua coroação com a ‘gordura do dragão’ que era a gordura do crocodilo sagrado. O crocodilo era conhecido no Egito como um “messé” e deste termo vem o termo hebreu “Messias” que significa O Ungido. Os reis da sucessão eram também conhecidos como ‘Dragões’ e todo este simbolismo se relaciona com o conhecimento de que essas famílias reais eram a linhagem do cruzamento réptil-humano. Quando muitos reinos se juntavam em uma batalha, eles apontavam um rei dos reis e ele era conhecido como o Grande Dragão ou...Draco. O famoso título céltico, Pendragon, é uma versão disto. A palavra kingship [realeza] se originou da palavra kin [parente por sangue] e kin-ship virou kingship. Apenas para enfatizar aqui o ponto sobre a linhagem dos répteis, o nome que os egípcios davam ao messé ou crocodilo sagrado deles era... Draco. Isto também tornou-se um símbolo dos Terapeutas Egípcios e seu ramo em Israel foi chamado de Essênios, e era representado por uma serpente marinha ou Bistea Neptunis pelos merovíngeos ‘reais’ e seus descendentes na França. Todos da mesma tribo, todos eles. Se você olhar a seção de figuras, você irá ver uma gravura egípcia antiga de um ‘deus’ na parede do templo em Saqquara – é uma figura reptiliana não-humana com algo parecido com asas.

 

Seres com cabelos loiros e olhos azuis, com olhos parecidos com lasers, continuam ainda serem relatados. Uma amiga americana me contou sobre uma experiência que o seu pai teve no início dos anos 1970. Eles viviam na Turquia naquele tempo, onde ele trabalhava em um posto de escuta da Inteligência Militar Americana. Ele voltou para casa numa noite em um estado terrível. Quando perguntado o que estava errado, ele apenas resmungou: “O mundo não é como nós pensamos que ele é”. Apesar de ele raramente beber, ele pediu um whisky, e em seguida outro. Quando ele relaxou ele contou para sua filha sobre uma comunicação que ele tinha feito aquele dia com o piloto de um avião que estava estacionado em uma base turca. O piloto reportou que ele estava voando próximo do Pólo Norte quando repentinamente seus motores pararam e todos os sistemas elétricos desligaram. O avião então desceu suavemente na vertical em direção ao solo e, para sua surpresa, o topo de uma montanha abriu e o avião foi estacionado dentro dela. O que ele viu foi uma cena diretamente de James Bond. Ele saiu para fora do avião imaginando o que afinal estava acontecendo e ele encontrou pessoas altas, com cabelos loiros, com pele da cor de ‘pérola’ e olhos de um ‘azul-púrpura’ que pareciam, de certa forma, carregados eletricamente: como olhos de laser. Todos eles vestiam longas túnicas brancas e, talvez significativamente, isso é como o ‘deus’ da América Central e do Sul, conhecido como Quetzalcoatl é descrito. Eles também usavam uma medalhão com uma Cruz Maltesa em uma corrente. A memória do piloto ficou confusa sobre o que aconteceu após esse primeiro encontro com os ‘olhos azuis’, mas ele lembrou ter entrado em um quarto e visto um grupo desses seres sentados em torno de uma mesa de conferência. No final, ele foi levado de volta para seu avião e quando ele subiu para fora da montanha, suas turbinas e a eletrônica voltaram a funcionar. Agora, após ouvir as descrições desses seres por um piloto norte-americano moderno, veja como o Livro de Enoque descreve os Vigilantes:

 

 “E apareceram para mim dois homens muito altos, como eu nunca tinha visto na terra. E suas faces brilhavam como o sol, e seus olhos eram como lâmpadas acesas... Suas mãos eram mais brilhantes que a neve.”

 

 Isto também poderia nos conectar com as descrições antigas de ‘deuses’ como ‘aqueles que brilham’. Certamente existe muito mais de nossa história que nos está sendo contado e muito mais coisas acontecendo neste planeta hoje que a maioria das pessoas sequer pode começar a acreditar. Muitas raças extraterrestres, não apenas os reptilianos, operam no e em torno da Terra nesta ou em dimensões mais elevadas. Seres de Orion e das Plêiades estão entre muitas outras raças, relatadas por abduzidos e pesquisadores, que estão interagindo com humanos.Do que eu ouvi de insiders [pessoas de dentro] da Irmandade que viram alguns desses extraterrestres, os seres de Orion (uma raça bela mas cruel, de acordos com meus contatos) possuem algum tipo de aliança com os reptilianos. Tenho convicção de que os anjos bíblicos eram os Vigilantes, os reptilianos, com asas ou não. O próprio termo ‘filhos dos deuses’ é traduzido no Septuagint, a versão grega do Velho Testamento, como anjos – anjos. Pela minha pesquisa, parece que existem diferentes facções reptilianas: existem aqueles que possuem uma atitude mais positiva com a humanidade e aqueles que desejam dominar e controlar. Ambos tornaram-se conhecidos como Vigilantes [Watchers, os observadores] ou anjos, os últimos como anjos caídos. Poderia bem ser que as lendas de São Miguel lançando o dragão sobre a terra para a batalha final e de São Jorge derrotando o dragão, podem relacionar-se com o longo conflito entre os marcianos brancos genuínos e os anunnaki reptilianos. São Miguel e São Jorge são heróis antigos fenícios da mesma região do mundo onde os anunnaki instalaram seu programa de cruzamento genético e, por um longo tempo, operavam abertamente como reptilianos. No último livro da Bíblia, o Livro da Revelação, nós vemos uma conexão clara que é feita entre o ser conhecido como Satã e a serpente ou réptil:

 

 Nos fragmentos dos Pergaminhos do Mar Morto, traduzidos pelo especialista de hebreu Robert Eisenman, existe uma descrição de um vigilante chamado Belial (Bel?), que é descrito como o Príncipe das Trevas e o Rei do Mal. É dito que ele é aterrorizante em sua aparência – como uma serpente com um semblante semelhante a uma víbora. Um dos principais grupos angélicos no folclore hebreu é o Serafim ou ‘serpentes ígneas’ e os Vigilantes estão muito ligados à descrição de serpentes. Nos ensinamentos persas eles também falam de um ser que eles descrevem como ‘a serpente antiga que tem dois pés’, da mesma forma como o Livro de Enoque menciona serpentes que andam. Quando você considera que é dito que os líderes reais Draco podem ter até 12 pés de altura [ 3,60 metros] e pele branca, na realidade um branco albino, ‘mais branco que a neve’, isso novamente se relaciona com a pele muito branca dos bebês híbridos gigantes dos vigilantes humanos descritos no Livro de Enoque e em outros lugares. E, eu devo enfatizar, o nascimento da criança humano-vigilante no Livro de Enoque chamada de Noé. Noé é, de fato, um híbrido réptil-humano e muitas pessoas têm procurado dizer que são descendentes de Noé – portanto descendentes dos reptilianos Vigilantes e Anunnaki. No mito hebreu, os Nefilim são descritos como awwim [sic] que significa devastadores ou serpentes. Nos Pergaminhos do Mar Morto, Noé é descrito como se parecendo com “as crianças dos anjos (caídos) do céu” cujas “concepções foram (devidas) aos Vigilantes...e aos Nefilim”. No folclore judeu, a Eva é vista como a mãe ancestral dos Nefilim e está associada com as palavras hebréias que significam vida e cobra. A Eva foi, obviamente, tentada pela serpente de acordo com o mito do Velho Testamento e de acordo com outras fontes. No Capítulo 69 do Livro de Enoque nós encontramos que entre os Vigilantes que revelaram os segredos para os humanos estava Gadreel, o anjo caído que tem sido identificado com o tentador de Eva. O Livro de Enoque foi banido pela Igreja Romana que procurou negar a crença cristã inicial na existência de anjos de carne e osso e de anjos caídos ocupando corpos físicos e que se cruzavam com humanos. Isto era feito para evitar que as massas entendessem a situação verdadeira. Mas os maçons, que controlam a Igreja Católica Romana hoje em dia, junto com outras Irmandades derivadas, têm sempre visto Enoque como um de seus lendários fundadores. O próprio nome Enoque significa ‘iniciado’.

 

O tema dos anjos caídos darem segredos proibidos à humanidade pode ser encontrado no Livro de Enoque e em outros trabalhos. Entre esses contadores de segredos está Azazel, que ensinou a arte de fabricação de metais, e Shemyaza, que ensinou as artes mágicas. Esses contos produziram mais tarde muitos heróis baseados neste tema, o mais famoso dos quais é o deu grego, Prometeu, que é dito que roubou o fogo (conhecimento) dos deuses e o deu para os humanos (humanos selecionados). Uma estátua de ouro de Prometeu está no Centro Rockefeller em Nova Iorque. Os Rockefellers são puro-sangue reptiliano e, portanto, estão completamente cientes do significado verdadeiro e do pano de fundo da lenda de Prometeu. Acidentalmente, o Vigilante chamado Azazel é a origem da cabeça de bode no ritual satânico e da expressão ‘bode expiatório’. De acordo com o Livro de Levíticos, os israelitas deveriam sacrificar dois bodes machos no Yom Kippur, o Dia da Expiação. Um era oferecido a Deus e o outro para Azazel. O sacerdote colocava ambas as mãos sobre a cabeça do bode de Azazel e confessava os pecados das pessoas. O bode era então levado para um local desabitado e lançado de um penhasco, simbolizando o anjo caído Azazel, que era visto como estando ligado e acorrentado no local desabitado – o ‘abismo’ na linguagem do Livro da Revelação – que eu entendo como o aprisionamento na quarta dimensão inferior. Disto surge o tema antigo do bode expiatório que se manifestou em uma forma como a estória simbólica de ‘Jesus’. A cabeça de bode de Azazel, um anjo reptiliano caído, está simbolizado no pentagrama invertido do sata

Category : ESOTERISMO, CANALIZAÇÕES, UFOLOGIA Print

| Contact author |