"> REVISITANDO A ATLÂNTIDA - ASTROLOGIA CÁRMICA | Bloguez.com - Bloguez.com
 

 REVISITANDO A ATLÂNTIDA (1ªparte)

13/9/2010

 

 

ElisabethLicata_bloguez.com

O CAMPO CRISTALINO DE 10-10-10
Uma mensagem do Arcanjo Metatron canalizada por James Tyberonn

 

Saudações, Mestres! Eu sou Arcanjo Metatron, Senhor da Luz! Saúdo todos vocês num vetor de amor incondicional!

E assim, conforme o dia 10-10-10 se aproxima rapidamente, os poderosos Cristais dos Templos Atlantes em todo o planeta adquirem maior potência. O Cristal Esmeralda da Cura, ativado em 9-9-9, se eleva em importância e serve como canal para a ativação dos outros, na projeção de um vigoroso campo cristalino.

No dia 10-10-10, o Cristal Esmeralda, há muito tempo mantido em repouso sob o Monte Maga, em Arkansas [nos EUA], atingirá 50% de sua potência. E isto se dará às 10:10:10 horas da manhã do dia 10 de outubro.

Então, mais uma vez falaremos claramente sobre o mega-vórtice de Arkansas, o portal da frequência cristalina quântica, que está prestes a emergir. Neste ano de 2010, este vórtice passará a ter uma grande importância com a abertura do selo dimensional que guardou a sabedoria cristalina da Era de Ouro da Atlântida, a sabedoria de frequência mais elevada alcançada no plano terreno.

Na verdade, esse momento chegou. E em 2010 continuarão o fluxo e a expansão exponenciais dos grandes Cristais dos Templos Atlantes, que permaneceram dimensionalmente lacrados por mais de 12.000 anos, no complexo magnético de Arkansas. Muitos de vocês serão levados a participar dessa revelação, pois testemunharam o dilúvio e alguns testemunharam também a consequente mudança desses incríveis Cristais Mestres Atlantes para esta e outras áreas. A nova Era Cristalina é iminente agora.

A fase diamantina da Transição Cristalina da Terra se realizará em 10-10-10, em correlação com a 10a dimensão e com a ressonância do 12º Chacra. A “Cratera de Diamantes” de Arkansas vai liberar energia coerente de ressonância diamantina no Vórtice Cristalino, em 10-10-10. Esta energia será disparada pelo Monte Maga e retransmitida para ele, e em seguida isto ativará as regiões cristalinas e diamantinas da África, América do Sul, Canadá, Rússia, Austrália e Ásia. Todas se conectarão axiotonalmente.

Queridos, a energia Cristalina é uma fonte onipotente de poder, com implicações que estão muito além da atual compreensão da humanidade. A estrutura Cristalina é formada por uma essência de ressonância de luz frequencial que é multidimensional e coerente, existindo na matéria e na antimatéria. É a matriz Metatrônica divina que dá origem a toda manifestação da criação, e forma a composição matricial de todos os planos de existência. É a enzima da realidade e a fonte de vitalidade do próprio Cosmos. Os pensamentos que vocês têm devem se elevar ao formato cristalino coerente para poderem se manifestar. A luz coerente é energia cristalina, a vitalidade da qual é formada a natureza integral de todos os mundos e realidades. A estrutura cristalina forma os limites e divisões aparentes entre dimensões, planos e o flash de matéria/ antimatéria da consciência, em paralelo e probabilidade. Tudo é cristalino.

Na verdade, a graduação do seu planeta – que tem sido chamada de Ascensão – é a conversão da massa crítica do padrão de capacidade de recepção da Terra, de analógico para digital, de branco e preto para colorido. A Conversão Cristalina, através da antena da Grade Cristalina 144, está aumentando significativamente a recepção dimensional da Terra da 3a para a 12a dimensão e além. Isto é semelhante à mudança da recepção da sua televisão através da arcaica antena para recepção via satélite. Assim é a Era Cristalina.

O ponto apical de sustentação foi o Impulso Cósmico. É muita energia para ser administrada! Mas liberem o medo, Queridos, pois desta vez, na Nova Era Cristalina, vocês não a administrarão de forma incompetente.

Três Cristais Atlantes de Sabedoria e Cura, que antigamente irradiavam uma luz magnífica e celestial no Templo da Cura, no Templo do Um e no Templo do Conhecimento, em Poseida, foram colocados sob um selo dimensional nos Campos Cristalinos Atlantes de Arkansas. O primeiro deles foi despertado em 2008 e o segundo em 2009. Em 2010 estes vão ativar e se alinhar com os Templos de Cristal mantidos no Brasil, no Monte Shasta, em Bimini e no Lago Titicaca.

Mestres, o Cristal Violeta do Som, localizado no Brasil vai despertar em 10-10-10, através da ativação do Monte Maga. E entre 2010 e 2012, serão completadas as ativações de todos eles, de forma progressiva.

Na verdade, eles agora energizarão o Disco Solar Dourado, localizado em Arkansas, e se alinharão com os 12 padrões do mesmo, por todo o planeta, e com o paradigma dos 12 Crânios de Cristal, para formarem o padrão do 13 sagrado; aquele do 13-20-33, entendem?

Então, muitos estão sendo chamados para Arkansas, e muitos irão participar deste despertar como parte de um antigo contrato, de uma promessa sagrada cuja hora finalmente chegou. Muitos já estão lá, tendo sido chamados para morar nesses vórtices cristalinos que estarão completos em 2012. Assim, nos restantes Portais de Datas Triplas, aqueles que fazem parte da Lei do Um estão sendo chamados, pois desta vez os Cristais não serão mal utilizados, eles não serão tirados de vocês por forças sombrias gananciosas.

Entretanto, não é sua tarefa ativar os cristais, não é sua tarefa ancorar o vórtice; sua tarefa é se alinhar com este processo de complementação, com esta ativação, com este ancoramento celestial do campo cristalino quântico. Os Sacerdotes Cientistas, os Mestres dos Cristais dos Atla-Ra e os Guardiões do Templo da Lei do Um de Poseidon estão sendo chamados.

Mestres, vocês esperaram éons por esta conclusão, e os que faziam parte dos Atla-Ra, os que frequentavam os Templos de Cristal de Poseida ouvirão o chamado do clarim. Os Cristais Mestres da Era de Ouro da Atlântida estão abrindo agora o arco-íris de acesso dimensional que acelera sua Ascensão planetária e pessoal. É uma promessa que está se cumprindo, uma finalização sagrada.

Com certeza vocês poderão acessar etericamente a energia benéfica e a sabedoria dos Cristais Atlantes da Cura e do Conhecimento. Não é totalmente necessário estar fisicamente no vórtice de Arkansas para receber e tomar parte na ativação. Entretanto, para aqueles que receberem o chamado, será benéfico visitar o vórtice e caminhar pelos campos de cristal. Aqueles de vocês que escolherem visitar as terras sagradas de Arkansas poderão encontrar um cristal pessoal imbuído com a energia da Era de Ouro da Atlântida. Foi concedida a permissão para isto, e os cristais se oferecerão a vocês para este e inúmeros outros propósitos.

Os guardiões de Sírius, Arcturius e Plêiades estão preparando o terreno e esperam que vocês se unam a eles. Enviem energia, luz e intenção de bem maior para o que está sendo chamado de Cristal Azul Mestre do Conhecimento. Ele já reinou em sabedoria e luz no Templo do Conhecimento, e assim muitos de vocês vão vê-lo de novo claramente com os olhos de sua mente, e certamente vão senti-lo em seus corações, entre lágrimas de alegria.


ATLÂNTIDA, O ELO PERDIDO DE PANGAEA

Atlântida é realmente o elo perdido de Pangaea, localizada no meio do Atlântico. Compartilharemos sua história com vocês em detalhes, mais adiante. Mas observem, Mestres, que nem todos os grandes Cristais dos Templos de Atlântida se perderam. Na verdade, alguns de vocês estiveram envolvidos no resgate deles.

O primeiro Cristal de Templo que foi salvo foi o Cristal Azul do Conhecimento. Ele está sob a Terra, sob o centro coronário do Vórtice, chamado Talimena Ridge, num poço sagrado construído há muito tempo atrás. O Cristal Azul do Conhecimento se mantém ereto, com quarenta e oito pés de altura e doze pés de diâmetro. Ele pulsa e irradia um arco-íris de cores prata, turquesa e azul cobalto, conforme é ativado de acordo com um contrato sagrado. Ele conserva a sabedoria e o conhecimento multidimensionais das eras. O segundo que foi salvo foi o Cristal Esmeralda. Agora ele está sob o Monte Maga, o centro cardíaco do Vórtice Cristalino de Arkansas. Ele tem aproximadamente 20 metros de altura e 5 metros de largura.

ATLÂNTIDA: A VERDADEIRA LENDA DA QUEDA

Queridos, estes cristais foram salvos da destruição, e agora os relembramos do motivo disso, pois esses seres cristalinos magníficos oferecem muito a todos vocês. A expansão, a finalização sagrada aplica-se a TODOS! Está na hora de se lembrarem quem vocês foram, de modo a se tornarem tudo o que são neste momento de despertar, neste retorno ao Campo Cristalino Quântico de Atlântida, a uma Era Dourada, uma época magnífica, traída pelo seu fim imprevisto. Então lhes contaremos a verdadeira história dessa extinção.

Vejam, Atlântida existiu por mais de 200.000 anos. A grande maioria dos tempos atlantes foi uma época de luz! Apenas a fase final, o período entre 17.500 AC a 10.500 AC foi uma era de trevas, como vocês dizem, mas uma época rica em lições
.

A ERA DE OURO

Nós lhes dizemos que, de fato, o Período Dourado da Atlântida trouxe o nível mais elevado de Consciência Luminosa jamais alcançado no Plano da Terra em qualquer civilização adiantada; mais alto que o da LeMúria, mais alto que o de Mu, mais alto que o de Rama, mais alto que o de Ignacious. Tornou-se moda considerar a LeMúria como uma civilização utópica, mas embora eles tenham realmente alcançado uma fase relativamente curta de consciência elevada, a maioria, naquela época, não estava verdadeiramente em seu corpo físico, mas num estado etérico, semelhante ao dévico, e não enfrentou as dificuldades requeridas pelo estágio físico terreno. Na verdade, a LeMúria nunca atingiu o nível altamente adiantado que existiu na Fase de Ouro da Atlântida, de 40.000 AC a 18.000 AC – uma época em que Deuses caminhavam com os homens e todos conheciam a expressão da alegria. Foi a época abençoada, na qual muitos de vocês caminhavam como Filhos das Estrelas, para mais tarde escolherem a biologia e os ciclos de lições da reencarnação no Planeta Azul chamado Terra.

Portanto, quando pensarem na Atlântida, NÃO se lembrem apenas da sua triste extinção! Esta foi apenas uma fase curta do magnífico mundo antidiluviano, mas não deve ser esquecida, pois muito se ganha ao se compreender essa fase final. E está na hora de se lembrarem, Queridos.

O HOLOGRAMA ATLANTE

E assim falaremos da outrora poderosa Atlântida, e falaremos para todos vocês, pois a Atlântida é uma grande lição holográfica, cuja hora voltou, porque a lembrança da Atlântida não é apenas uma cura. Na verdade, para alguns ela é uma cura necessária, uma limpeza necessária, mas para outros é também um “empoderamento” benéfico. Ela traz de volta um tempo em que vocês viviam em consciência, independentemente dos seus inúmeros papéis na Atlântida. E, Queridos, 70% de todos os que estão no planeta neste momento experienciaram a fisicalidade lá. Atlântida agora os chama.

E o chamado não é apenas para os da Lei do Um, mas igualmente para os Arianos, os Filhos de Belial. Na verdade, muitos de vocês experienciaram vidas em ambas ideologias. Isto os surpreende?


O DILÚVIO DE 17.500 AC – ESPIRAL DESCENDENTE DA FASE FINAL

Falamos da época que se seguiu ao segundo dilúvio, quando a utópica Era de Ouro terminou e a Atlântida se dividiu em 5 ilhas. As três ilhas principais eram conhecidas por Poseida, Aryan e Og. As duas ilhas menores estavam sob o governo de Aryan e eram conhecidas por Atalya e Eyre. E assim, nos dias posteriores à segunda ruptura da Atlântida, o benevolente governo monárquico foi substituído pelo sistema federativo de governo, semelhante ao seu sistema de governos estaduais, em que cada um governava uma das ilhas. Desenvolveu-se, então, um tipo de aristocracia que consistia de duas ideologias opostas. Seus dois componentes principais eram os da “Lei do Um”, sediados predominantemente na ilha de Poseida, e “Os Filhos de Belial”, sediados na ilha de Ayran. A Ilha de Ayran era a mais populosa e exercia influência e controle político sobre Og, Atalya e Eyre.

Na época da Atlântida, Poseida era o complexo de portal-vórtice mais potente do planeta. O agrupamento da ilha de Poseida abrigava o Templo da Cura, o Templo do Som, o Templo do Um, o Templo da Regeneração e o Templo do Conhecimento. Poseida abrigava a maioria dos centros mais importantes de ensinamento superior. Estes foram colocados em Poseida devido à sua localização privilegiada nas redes geodésicas e à sua proximidade com energias eletromagnéticas benéficas que subiam em espiral do centro da Terra. Uma fonte de cura incrivelmente potente fluía em Poseida, perto do Templo de Cura, e sua fama gerou o mito da "Fonte da Juventude" transmitido pelo povo nativo da Florida. Ela ainda corre para os oceanos perto de Bimini.

Os seres altos – a raça dourada de Atlântida, de origem pleiadiana – estavam centrados em Poseida e tinham, em média, 10 a 12 pés de altura. Formavam uma raça pacífica de gigantes, envolvida em atividades culturais, artísticas e educacionais, no coração da Atlântida. Poseida era também a sede e o núcleo da rede de energia cristalina e do sistema de túneis interdimensionais. Os cristais mais avançados, complexos e bonitos estavam lá. Eram de construção Arcturiana e Siriana, um amálgama vivo de muitas formas cristalinas permeadas com uma liga de platina e ouro. Os cristais eram guardados em Templos magníficos, alguns construídos de mármore, outros de placas cristalinas de beril, corundum e diamante. Poseida era também a capital da ilha, e era chamada A Cidade Esmeralda. Os atlantes tinham desenvolvido, com tecnologia arcturiana, a capacidade de criar cristais de todo tipo de estrutura e essência, num crescimento acelerado, nos leitos de cristal subterrâneos de Arkansas, Tibet e Brasil, todos sendo colônias atlantes, acessadas através do sistema de túneis interdimensionais.

Através de toda a Atlântida, cristais da rede de energia, chamados “posers”, eram triangulados e conectados através de uma haste de cobre-dourada sob uma abóbada esférica que podia ser angulada para receber ondas de energia estelar, solar e gravitacional especificas. Este era o sistema usado para fornecer energia aos lares, escritórios, meios de comunicação, teatros, fábricas, centros médicos, escolas e empresas. O sistema “poser” era recebido em cada estrutura através de unidades cristalinas receptoras de vários tamanhos. O sistema “poser” também era capaz de receber luz refratada específica e injetá-la no sistema de energia ley para ser usada no sistema de túneis interdimensionais, e inserir luz cristalina em correntes terrenas condutivas para elevar a frequência a um campo plasmático eletromagnético semiconsciente de energia benéfica, capaz de reter frequências espirituais.

Um grande satélite cristalino, conhecido como a segunda lua de Atlântida, flutuava no céu e recebia, amplificava e refletia energia refinada de volta para os cristais, com vários propósitos benéficos. Ele servia tanto aos “posers” quanto ao Cristal Mestre usado nos Templos. Campos de energia especializada eram projetados em plantações e em áreas de desenvolvimento de cristais, para amplificar e acelerar seu crescimento, assim como em universidades, hospitais, escolas, escritórios, fábricas e locais de trabalho, para criar uma sensação de bem-estar e ânimo nos trabalhadores e estudantes. Falaremos mais sobre esta “segunda lua” mais adiante.

Os Templos eram obras impressionantes de geometria sagrada e arquitetura deslumbrante. Muitos dos grandes templos eram cobertos por uma cúpula de luz cristalina amplificada projetada, semelhante a um campo de força brilhante. Estes eram de várias cores e brilhavam dia e noite. Eles variavam de acordo com o propósito do complexo do templo. Alguns templos projetavam cúpulas e campos de luz vibratória e frequências de som ressonante que ampliavam os sentidos e os chacras, outros amplificavam a capacidade da mente para receber ensinamentos, e outros possibilitavam consciência, comunicação e transporte multidimensionais. Além disto, durante a Idade de Ouro da Atlântida, a maioria das principais cidades tinha cúpulas cristalinas de campos de energia sobre elas.

Depois do segundo dilúvio, só a Capital Poseida tinha uma cúpula de energia cristalina completa, e era de um incrível verde esmeralda.

Antes do dilúvio de 17.500 AC, a maioria das principais cidades, incluindo Meruvia, Capital de Aryan, tinha uma cúpula de energia sobre o seu perímetro. A de Aryan era de um vermelho rubi suave.

Na Idade de Ouro da Atlântida, as Pirâmides eram de três ou quatro lados, dependendo da sua finalidade, e geralmente eram feitas de mármore, granito e cristais complexos. As pirâmides de três lados eram usadas como antenas para atrair e amplificar energias, que eram injetadas na rede de “posers” para fornecer energia às casas, fábricas e criar campos de energia para diversas utilidades. O satélite cristalino era usado para refletir as ondas de energia estelar angulada nessas redes trianguladas. Havia mais de 100 desses complexos de rede piramidal triangulada. Eles foram construídos em padrões triangulares concêntricos por todo o planeta. E estabeleciam uma malha hemisférica de energia cristalina e eletromagnética, dividindo as áreas da Atlântida, América, África, Europa Meridional e América do Sul em centros demográficos diferentes, para prover energia aos centros urbanos, e modular os padrões de tempo e as marés. As áreas da Mongólia e Tibet também faziam parte desse complexo, conectadas por túneis ley interdimensionais. Mas o maior agrupamento deles estava nas terras de Atlântida.

As pirâmides de quatro lados eram, basicamente, conjuntos de Templos construídos como octaedros completos e usados para cura, aprendizagem, regeneração e propósitos espirituais. Estes não eram triangulados, e eram geralmente localizados no alto de montanhas ou ao longo da costa para receberem tanto a energia telúrica quanto as celestiais. A terra sob o plano central era escavada de modo a permitir a construção da pirâmide inversa para formar o octaedro, conectando assim, energeticamente, o acima e o abaixo.

Os adeptos da “Lei do Um” de Poseida eram devotamente espiritualizados e buscavam a igualdade entre as pessoas e a unificação com a Unidade. Embora muita tecnologia e qualidade de vida tenham se perdido nas duas rupturas anteriores da Atlântida (a primeira em 58.000 AC, a segunda em 17.500 AC), a tecnologia ainda se mantinha num nível adiantado. Entretanto, a harmonia vivenciada na Era de Ouro da Atlântida teve uma queda acentuada depois que se desmembrou em ilhas, em 17.500 AC, pois as ilhas passaram a ser governadas por entidades separadas, que mantinham ideologias diferentes, no período inicial e caótico de reconstrução que se seguiu ao rompimento.

POSEIDA E OS ATLA-RA

Uma seita altamente disciplinada e evoluída de sacerdotes cientistas conservava o conhecimento técnico e a competência para gerenciar as redes de energia cristalina. A grande maioria dos Atla-Ra era da raça dourada alta, mas havia também alguns que pertenciam às raças bronze, branca, marrom lemuriano e cetácea. Naquele tempo ainda havia golfinhos que andavam em duas pernas, se comunicavam verbalmente e respiravam ar de modo semelhante aos seres humanos. A seita de sacerdotes cientistas era conhecida como a dos Atla-Ra. Os Atla-Ra ainda conservavam os padrões superiores de consciência e eram capazes de continuar vibrando em altas frequências de consciência, no nível de luz e energia da 12a dimensão e acima, mantendo-se muito puros e sintonizados com o verdadeiro conceito de “Unidade” de Deus/Criador. Eles mantinham contato telepático de dimensão superior com os irmãos espaciais das Plêiades, Arcturius, Andrômeda e Sírius.

Os Sacerdotes Atla-Ra eram muito venerados e estavam tradicionalmente separados, acima e isentos dos controles governamentais. Assim eles mantinham o conhecimento e o gerenciamento superior da tecnologia dos cristais nas mãos sábias e benevolentes da seita, embora houvesse alguns técnicos e engenheiros de cristal da população de Poseida que não faziam parte da ordem dos Atla-Ra. Entre os Sacerdotes Cientistas Atla-Ra havia homens e mulheres e eles eram capazes de grande longevidade, tanto através da regeneração do poder da mente quanto através da tecnologia do Templo do Rejuvenescimento. Muitos viviam numa mesma biologia por 6.000 anos, e outros por 12.000 anos! Desta forma, a tecnologia era preservada através dessa seita sagrada. Muitas almas brilhantes estão entre eles. As entidades que vocês conhecem por Galileu, Isaac Newton, Einstein, Tesla, Edison, Marcel Vogel, Ronna Herman e Da Vinci estavam entre os Atla-Ra. Tyberonn e Oneronn faziam parte desse grupo de sacerdotes cientistas, que tiveram vidas muito longas.

Muitos de vocês, principalmente os artistas, têm muitas lembranças da capital da Atlântida situada na região de Poseida. Ela era chamada de Cidade Esmeralda devido à cúpula de luz verde brilhante projetada sobre ela. Alguns dos seus artistas de fato fizeram interpretações dessa cidade que são bem precisas. Era uma maravilha de arquitetura, cultura e engenharia, de longe a mais linda metrópole que já existiu no seu planeta. Era de tirar o fôlego! Essa cidade, também chamada Poseida como o Estado, era composta de uma série de muros concêntricos e rodeada de canais de escoamento verde-mar. Era repleta de Templos, Universidades, Teatros e Museus, todos lindamente construídos. No topo de uma montanha, e no centro exato dela, situava-se o deslumbrante e majestoso Templo de Poseidon, que era visível de qualquer ponto da sagrada Cidade Esmeralda. No interior do Templo, havia uma estátua de ouro maciço do Deus do Mar dirigindo seis cavalos alados feitos de platina extraterrestre. A estátua era adornada com pedras preciosas de todas as cores e tipos. O Templo era octogonal e, ao longo de cada uma das 8 paredes, havia nichos com plataformas para cristais impressionantes, de 12 pés de altura, que brilhavam como diamantes transparentes. Poseida tinha sido a menos danificada entre as principais cidades da Atlântida, depois do seu desmembramento em ilhas, e ainda mantinha uma frequência muito elevada e ótima qualidade de vida.


ARYAN E O COMPLEXO INDUSTRIAL

Aryan era a maior e mais povoada das ilhas. Era o centro comercial e foi a que teve maior influência, do ponto de vista econômico, agrícola e militar. Depois do segundo dilúvio, Aryan ficou significativamente danificada e teve que passar por um período caótico de reconstrução da sua infraestrutura. Nesse processo, o Estado passou a ser controlado por uma raça “branca” elitista e rica, que adquiriu o controle da economia, poderes militares e o governo do estado-ilha, embora a maioria da população fosse da raça bronze ou vermelha. Em Aryan surgiu uma aristocracia corrupta, voltada para o poder, que procurava bloquear a “Lei do Um” e usar a tecnologia atlante para controlar o mundo, através da utilização da energia cristalina em armamentos, e do uso da genética para o desenvolvimento e conservação de uma raça de seres inferiores que servia como trabalhadores e soldados.

A engenharia genética tinha sua base em Merúvia, em Aryan. Originalmente ela havia sido usada para propósitos benéficos, para melhorar o veículo físico daqueles que tinham encarnado em corpos físicos que haviam sofrido mutações, tornando-se abominações meio homem, meio animal. O trabalho genético tinha sido realizado e desenvolvido em Aryan e era usado para remover apêndices como garras, penas e peles e escamas reptilianas. Isto era feito no Templo da Purificação, uma espécie de centro médico especializado. Mais uma vez enfatizamos que, durante a Era de Ouro de Atlântida, sua utilização tinha sido muito benéfica. Avanços genéticos tremendos foram feitos e se chegou a um grande entendimento de clonagem e da correção de limitações físicas visando o aperfeiçoamento, que era utilizado de forma responsável e ética.

No caos do período de reconstrução, a engenharia genética passou para o controle do grupo Belial, e então se degenerou, sendo utilizada de forma corrupta, voltada para a ganância e o poder. A engenharia genética começou a ser usada para fins obscuros, criando uma raça de trabalhadores escravos e homens animalizados híbridos. Assim como na Alemanha Nazista, isso foi apresentado às massas como o desenvolvimento de uma “raça pura”. De fato, muitos cientistas genéticos formam mantidos na ignorância sobre a finalidade das suas pesquisas e do desenvolvimento dos seus trabalhos, até que já era basicamente tarde demais para detê-lo. Muitos de vocês carregam até hoje uma grande culpa como resultado desse trabalho.

LEI DO UM E FILHOS DE BELIAL

Esta utilização de classes servidoras geneticamente criadas levou à cisão entre a Lei do Um e os Filhos de Belial, sendo que este último grupo acabou ficando tão concentrado e endurecido nas ambições materiais da máquina industrial, que perdeu de vista as éticas espirituais que haviam prevalecido no continente da Atlântida durante a Era de Ouro. Foram criadas literalmente centenas de milhares de mutações híbridas para trabalharem nos campos, além de monstruosidades com mentes controladas para atenderem como autômatos os pedidos dos seus “mestres”. A sociedade agro-industrial de Aryan se tornou muito dependente deles. Almas eram aprisionadas em corpos clonados, chamados “coisas” e “os outros”, que passavam por lobotomias genéticas e tinham a sexualidade e a capacidade emocional anulada. Muitos dos que foram presos em corpos humanos monstruosos ou andróginos e sub-inteligentes ainda carregam a dor terrível de terem sido aprisionados em corpos físicos que não permitiam nenhum aprendizado adiantado, nenhum crescimento espiritual nem expressão emocional.

Durante vários milênios, as duas ideologias se mantiveram imobilizadas sobre esta questão, deixando as agências governamentais em um estado de delicado impasse. Os poseidanos tinham uma natureza muito mais culta e pacífica, para tentarem lutar contra os arianos. Então procuravam educá-los e influenciá-los espiritualmente para mudarem seu modo de ser. Os arianos, três vezes mais numerosos que os poseidanos, não ousavam atacar Poseida, pois temiam que o fornecimento de energia cristalina à nação fosse cortado.

GUERRAS COLONIAIS

Nesse ínterim, foram deflagradas algumas guerras entre as forças armadas atlantes, controladas pelos arianos, à medida que as antigas colônias localizadas nas áreas mediterrâneas cortavam os laços tradicionais e desenvolviam seus próprios governos independentes. As colônias, particularmente as da Grécia e Turquia, tendo percebido a mudança da Atlântida utópica para o estado fascista-militar controlado por Aryan, procuravam se libertar. Embora os arianos tivessem vantagem militar, os estados do Mediterrâneo não sucumbiam, e guerras regionais coloniais violentas se seguiam, sem que nenhum dos lados fosse capaz de dominar o outro. Em Aryan, as facções insistiam cada vez para que a energia cristalina pudesse ser usada para derrubar os adversários, mas isto era terminantemente recusado pelos Atla-Ra e a população de Poseida que fazia parte da “Lei do Um”.

Os arianos fizeram várias tentativas fúteis de aterrorizar os poseidanos, e todas elas foram reprimidas. Os poseidanos respondiam cortando o fornecimento de energia e ignorando os arianos. Os arianos reagiam cortando o fornecimento de alimentos e de bens manufaturados. Isto resultou num grande impasse
.

(continua)

 

Category : HISTÓRIA, FILOSOFIA, TRADIÇÃO, MITOLOGIA Print

| Contact author |