"> ASTROTERAPIA COM FLORAIS - Mestre Zanon - ASTROLOGIA CÁRMICA | Bloguez.com - Bloguez.com
 

 ASTROTERAPIA COM FLORAIS - Mestre Zanon Melo

10/6/2010

 

 

 UM CAMINHO PARA O EQUILÍBRIO

A história do ser humano como entidade mostra a influência da observação dos astros em estreita correlação com as ciências herméticas e um elo muito forte entre terapia e ocultismo. Segundo culturas ancestrais, o sofrimento e a doença resultam do desequilíbrio entre entidade e leis cósmicas.

Hipócrates seguiu esse caminho que indica o poder de cura da natureza. O terapeuta Zanon Melo garante que a própria entidade, seu corpo, mente e alma podem curar-se dos desequilíbrios ocorridos nessa ou em vidas passadas. Para ele, não existem doenças, existem doentes.

O equilíbrio deve ser o principio a nortear toda terapia e todo comportamento, diz ele. Quando o equilíbrio é rompido, advém o sofrimento, e o caminho para a cura é seu restabelecimento. Para isso, a Astroterapia usa os Mapas Astrológicos e a Essência das Flores, tanto de forma preventiva, como de cura. Sua abrangência é o indivíduo enquanto cidadão cósmico, viajante de muitas vidas e a natureza de forma universal. Por isso, sua abordagem é holística e kármica.

O passo inicial da Astroterapia é a Astrodiagnose e as leituras cármicas dos mapas da entidade - continua ele, o porquê é fundamental na Astrodiagnose. Por isso é tão importante determinar temperamento e o caráter da entidade. o tipo de desarmonia e suas causas. Em número altíssimo de casos, as causas decorrem de procedimentos repetidos em desacordo com as leis naturais de evolução. Resolvidas as causas, passam os efeitos,e a harmonia se restabelece. Para isso, usam-se a essência das flores.

Há diversos tipos de Florais. Os conhecidos como Florais de Bach, por exemplo, datam da década de 20, e sua teoria afirma que a desarmonia e o desequilíbrio acompanham as doenças, bem como o estado mental negativo, que pode ser a causa. Se não tratada, trabalhará cada vez mais fortemente contra o retorno da harmonia.

Deve-se analisar, assim digo - os fatores físicos, espirituais, mentais, ambientais e tudo que a pessoa absorve (imagens, sons, leituras, comida, bebida, etc.), além da sua inter-relação com o Universo e o Cosmos. Também, seus sentimentos, padrões mentais e personalidade. Esses padrões são informados pelo posicionamento de Mercúrio nos mapas. Já a personalidade, segundo o terapeuta, tem como base de análise os Ascendentes, dessa e de vidas anteriores, e as energias formadas por estes. Quanto aos sentimentos, especial atenção deve ser dada à Lua, que doa e acolhe energia, dando vida, mas também morte, transportando e refletindo a energia solar à terra e à toda espécie de vida.

Devem ser observados seus trânsitos, com relação ao signo que governa a área lesada - explica ele. As condições básicas de saúde são reveladas pela casa 6 nos Mapas Astrológicos e seus regentes, aonde se localizam, sua natureza, qual parte do corpo governam e as qualidades das energias formadas.

Para o terapeuta, importantíssima ainda é a análise dos planetas retrógrados (em movimento mais lento que o seu normal) que apresentam informações vitais dessa e de vidas passadas, bem como dos Nodos e Saturno, e de como se aplicam entre si. Nesse ponto, o astroterapeuta tem a visão do todo, ou o 1º Nível de análise. Aprofundando, passa a um maior detalhamento, ou 2º Nível, que fornece o diagnóstico em si. São revistos os Ascendentes e as tendências da personalidade.

A predominância de planetas em signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário ou Peixes) - diz ele - mostra personalidade sugestionável; em signos cardeais (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio) mostra a entidade colaborativa; em signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Capricórnio), mostra a entidade rotineira, o que pode ser a origem do desequilíbrio. Com essas entidades, deve ser desperta a determinação. O terapeuta então analisa nos Mapas as regências dos signos e  planetas implicados, e procura identificar a força da mente do individuo através de Mercúrio, para conhecer a qualidade e a intensidade de sua energia: Mercúrio forte mostra uma mente com tendência a ser sadia e energizada, pouco tendendo ao desequilíbrio; aflito, mostra tendência para ceder a tentações; e, com fortes desejos, indica necessidade imediata de tratamento. Conhecendo as potencialidades e energias latentes ele pode determinar as causas do desequilíbrio, administrar as essências florais indicadas. Algum tempo depois estará restabelecida a saúde.

Para administrar os florais (de Bach) baseado no mapa astrológico, o terapeuta deve verificar os estados motivadores, da desarmonia que Bach classificou como 12:

1 = medo;
2 = terror;
3 = tortura mental ou preocupação;
4 = indecisão;
5 = indiferença ou enfado;
6 = dúvida ou desânimo;
7 = excesso de preocupação com os outros;
8 = fraqueza;
9 = falta de autoconfiança;
10 = impaciência;
11 = excesso de entusiasmo;
12 = orgulho ou insociabilidade.

Há uma correlação muito importante para o entendimento da sinergia entre astrologia e florais de Bach.

Bach inicialmente apresentou 12 essências das 38 atuais. Essas 12 formaram sua base: para cada estado mental, foi encontrada uma essência correspondente. Os 12 signos do Zodíaco relacionam-se diretamente com as 12 essências, apresentando cada signo uma fraqueza a ser superada na cadeia evolutiva cármica. Assim, de forma geral, Áries tem correlação com impaciência e a essência é Impatiens; Touro tem correlação com dúvida ou desânimo e a essência é Gentian; Câncer tem correlação com indiferença ou enfado e a essência é Clematis, e assim sucessivamente até Peixes. Então, são estabelecidas as correlações, inclusive em termos de polaridade, como: Câncer e Clematis, Capricórnio e Mimulus e aplicadas as essências básicas e derivadas ao simbolismo geral.

O terapeuta recomenda que, após a aplicação dos respectivos florais e estabelecidos o equilíbrio e a cura, deve ser aplicado o Floral de Continuidade ou de Manutenção, que serve para todos os casos, tanto nos pacientes que estão ou estiveram com suas energias desequilibradas, como de forma preventiva. É personalizado e elaborado de acordo com as indicações dos mapas astrológicos. Pode ser considerado como um Elixir da Entidade, dissipando energias negativas, fortalecendo positivas, atenuando trânsitos dificeis e, ainda funcionando como Escudo Astral.

Cabe ainda ao astroterapeuta, segundo Zanon, para agilizar o processo de cura, evitar que a pessoa sozinha interprete seu horóscopo, prevenindo erros e energizações negativas. Isso é importantíssimo, pois em desequilíbrio, há tendência ao uso do lado negativo da natureza própria, e a enxergar por essas lentes. As defesas caem e a entidade fica hipersensibilizada às influências externas. As energias fluem para dentro, aumentando a vulnerabilidade e isso expõe a sentimentos e emoções dos outros, que, se negativas, atrasam o tratamento.

Concluindo, digo que a Astroterapia trabalha com o equilíbrio para a manutenção da saúde. Os perfis e implicações dos desequilíbrios entre o homem e sua essência são inerentes ao campo de atuação da Astroterapia, pois "assim como em cima, é em baixo".

Em seu livro "Heal Thyself", Bach apresenta-nos a doença como conseqüência da agressão do ser humano à alma universal, bem como do egoísmo que leva a entidade a isolar-se. Por isso, a Astroterapia recorre à essência das flores para o restabelecimento da condição natural da personalidade. Por que das flores? - pergunta Zanon.

Porque elas recebem do meio ambiente tudo que necessitam para a harmonia com a alma universal, até sua forma embelezadora - responde. Suas pétalas, sob a influência das luminárias, transformam morte em vida em um momento (Sol) e, em outro, recolhem vida e transformam em morte (Lua), seguindo assim um fluxo. São, em si, a essência do reino vegetal elevada à mais alta potência. Nelas, guardadas por seus espinhos, ficam as essências da vida.

Os dois gêneros combinados lá estão e, em sua memória (DNA), o grande segredo da regeneração e da vida. Seu equilíbrio, desenvolvido durante séculos com os 4 elementos (Fogo, ferra. Ar e Água), ensina-nos a viver integralmente, e isso nos é passado através dos florais, que curam a entidade das causas do desequilíbrio, das dores, religando-a com sua essência, seu destino e sua missão, apontados pelas orientações astrológicas, e assim, com a a alma do todo. Essa é a cura pela astroterapia e a missão do astroterapeuta.

 

ASTROTERAPIA COM FLORAIS - UM CAMINHO PARA O EQUILÍBRIO

A história do ser humano como entidade mostra a influência da observação dos astros em estreita correlação com as ciências herméticas e um elo muito forte entre terapia e ocultismo. Segundo culturas ancestrais, o sofrimento e a doença resultam do desequilíbrio entre entidade e leis cósmicas.

Hipócrates seguiu esse caminho que indica o poder de cura da natureza. O terapeuta Zanon Melo garante que a própria entidade, seu corpo, mente e alma podem curar-se dos desequilíbrios ocorridos nessa ou em vidas passadas. Para ele, não existem doenças, existem doentes.

O equilíbrio deve ser o principio a nortear toda terapia e todo comportamento, diz ele. Quando o equilíbrio é rompido, advém o sofrimento, e o caminho para a cura é seu restabelecimento. Para isso, a Astroterapia usa os Mapas Astrológicos e a Essência das Flores, tanto de forma preventiva, como de cura. Sua abrangência é o indivíduo enquanto cidadão cósmico, viajante de muitas vidas e a natureza de forma universal. Por isso, sua abordagem é holística e kármica.

O passo inicial da Astroterapia é a Astrodiagnose e as leituras cármicas dos mapas da entidade - continua ele, o porquê é fundamental na Astrodiagnose. Por isso é tão importante determinar temperamento e o caráter da entidade. o tipo de desarmonia e suas causas. Em número altíssimo de casos, as causas decorrem de procedimentos repetidos em desacordo com as leis naturais de evolução. Resolvidas as causas, passam os efeitos,e a harmonia se restabelece. Para isso, usam-se a essência das flores.

Há diversos tipos de Florais. Os conhecidos como Florais de Bach, por exemplo, datam da década de 20, e sua teoria afirma que a desarmonia e o desequilíbrio acompanham as doenças, bem como o estado mental negativo, que pode ser a causa. Se não tratada, trabalhará cada vez mais fortemente contra o retorno da harmonia.

Deve-se analisar, assim digo - os fatores físicos, espirituais, mentais, ambientais e tudo que a pessoa absorve (imagens, sons, leituras, comida, bebida, etc.), além da sua inter-relação com o Universo e o Cosmos. Também, seus sentimentos, padrões mentais e personalidade. Esses padrões são informados pelo posicionamento de Mercúrio nos mapas. Já a personalidade, segundo o terapeuta, tem como base de análise os Ascendentes, dessa e de vidas anteriores, e as energias formadas por estes. Quanto aos sentimentos, especial atenção deve ser dada à Lua, que doa e acolhe energia, dando vida, mas também morte, transportando e refletindo a energia solar à terra e à toda espécie de vida.

Devem ser observados seus trânsitos, com relação ao signo que governa a área lesada - explica ele. As condições básicas de saúde são reveladas pela casa 6 nos Mapas Astrológicos e seus regentes, aonde se localizam, sua natureza, qual parte do corpo governam e as qualidades das energias formadas.

Para o terapeuta, importantíssima ainda é a análise dos planetas retrógrados (em movimento mais lento que o seu normal) que apresentam informações vitais dessa e de vidas passadas, bem como dos Nodos e Saturno, e de como se aplicam entre si. Nesse ponto, o astroterapeuta tem a visão do todo, ou o 1º Nível de análise. Aprofundando, passa a um maior detalhamento, ou 2º Nível, que fornece o diagnóstico em si. São revistos os Ascendentes e as tendências da personalidade.

A predominância de planetas em signos mutáveis (Gêmeos, Virgem, Sagitário ou Peixes) - diz ele - mostra personalidade sugestionável; em signos cardeais (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio) mostra a entidade colaborativa; em signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Capricórnio), mostra a entidade rotineira, o que pode ser a origem do desequilíbrio. Com essas entidades, deve ser desperta a determinação. O terapeuta então analisa nos Mapas as regências dos signos e  planetas implicados, e procura identificar a força da mente do individuo através de Mercúrio, para conhecer a qualidade e a intensidade de sua energia: Mercúrio forte mostra uma mente com tendência a ser sadia e energizada, pouco tendendo ao desequilíbrio; aflito, mostra tendência para ceder a tentações; e, com fortes desejos, indica necessidade imediata de tratamento. Conhecendo as potencialidades e energias latentes ele pode determinar as causas do desequilíbrio, administrar as essências florais indicadas. Algum tempo depois estará restabelecida a saúde.

Para administrar os florais (de Bach) baseado no mapa astrológico, o terapeuta deve verificar os estados motivadores, da desarmonia que Bach classificou como 12:

1 = medo;
2 = terror;
3 = tortura mental ou preocupação;
4 = indecisão;
5 = indiferença ou enfado;
6 = dúvida ou desânimo;
7 = excesso de preocupação com os outros;
8 = fraqueza;
9 = falta de autoconfiança;
10 = impaciência;
11 = excesso de entusiasmo;
12 = orgulho ou insociabilidade.

Há uma correlação muito importante para o entendimento da sinergia entre astrologia e florais de Bach.

Bach inicialmente apresentou 12 essências das 38 atuais. Essas 12 formaram sua base: para cada estado mental, foi encontrada uma essência correspondente. Os 12 signos do Zodíaco relacionam-se diretamente com as 12 essências, apresentando cada signo uma fraqueza a ser superada na cadeia evolutiva cármica. Assim, de forma geral, Áries tem correlação com impaciência e a essência é Impatiens; Touro tem correlação com dúvida ou desânimo e a essência é Gentian; Câncer tem correlação com indiferença ou enfado e a essência é Clematis, e assim sucessivamente até Peixes. Então, são estabelecidas as correlações, inclusive em termos de polaridade, como: Câncer e Clematis, Capricórnio e Mimulus e aplicadas as essências básicas e derivadas ao simbolismo geral.

O terapeuta recomenda que, após a aplicação dos respectivos florais e estabelecidos o equilíbrio e a cura, deve ser aplicado o Floral de Continuidade ou de Manutenção, que serve para todos os casos, tanto nos pacientes que estão ou estiveram com suas energias desequilibradas, como de forma preventiva. É personalizado e elaborado de acordo com as indicações dos mapas astrológicos. Pode ser considerado como um Elixir da Entidade, dissipando energias negativas, fortalecendo positivas, atenuando trânsitos dificeis e, ainda funcionando como Escudo Astral.

Cabe ainda ao astroterapeuta, segundo Zanon, para agilizar o processo de cura, evitar que a pessoa sozinha interprete seu horóscopo, prevenindo erros e energizações negativas. Isso é importantíssimo, pois em desequilíbrio, há tendência ao uso do lado negativo da natureza própria, e a enxergar por essas lentes. As defesas caem e a entidade fica hipersensibilizada às influências externas. As energias fluem para dentro, aumentando a vulnerabilidade e isso expõe a sentimentos e emoções dos outros, que, se negativas, atrasam o tratamento.

Concluindo, digo que a Astroterapia trabalha com o equilíbrio para a manutenção da saúde. Os perfis e implicações dos desequilíbrios entre o homem e sua essência são inerentes ao campo de atuação da Astroterapia, pois "assim como em cima, é em baixo".

Em seu livro "Heal Thyself", Bach apresenta-nos a doença como conseqüência da agressão do ser humano à alma universal, bem como do egoísmo que leva a entidade a isolar-se. Por isso, a Astroterapia recorre à essência das flores para o restabelecimento da condição natural da personalidade. Por que das flores? - pergunta Zanon.

Porque elas recebem do meio ambiente tudo que necessitam para a harmonia com a alma universal, até sua forma embelezadora - responde. Suas pétalas, sob a influência das luminárias, transformam morte em vida em um momento (Sol) e, em outro, recolhem vida e transformam em morte (Lua), seguindo assim um fluxo. São, em si, a essência do reino vegetal elevada à mais alta potência. Nelas, guardadas por seus espinhos, ficam as essências da vida.

Os dois gêneros combinados lá estão e, em sua memória (DNA), o grande segredo da regeneração e da vida. Seu equilíbrio, desenvolvido durante séculos com os 4 elementos (Fogo, ferra. Ar e Água), ensina-nos a viver integralmente, e isso nos é passado através dos florais, que curam a entidade das causas do desequilíbrio, das dores, religando-a com sua essência, seu destino e sua missão, apontados pelas orientações astrológicas, e assim, com a a alma do todo. Essa é a cura pela astroterapia e a missão do astroterapeuta.

Mestre " Zanon  Melo" , Antonio Carlos Bernardes Pereira de Melo, CNPJ 11.982.791/0001-19, TERAPEUTA - ECONOMISTA -  Astrólogo Profissional -  Doutor em Metafísica da ULC e Mestre REIKI em mais de 20 Sistemas em www.portalcosmico.com.br

Category : SAÚDE, ENERGIA, CIÊNCIAS ALTERNATIVAS Print

| Contact author |