"> WESAK - A LUA CHEIA DE - ASTROLOGIA CÁRMICA | Bloguez.com - Bloguez.com
 

 WESAK - A LUA CHEIA DE BUDA

29/4/2010

 

Existe uma ênfase crescente dada pelos esotéricos ocidentais para a Lua Cheia de Maio, que é o festival do Buda e ocorre na ocasião em que Ele faz o seu contacto anual com a Humanidade. Esta ênfase, que continuará nos próximos anos, não foi trazida para impor o reconhecimento de Buda no Ocidente. Há duas razões pelas quais, desde 1900, esse esforço foi feito. Uma foi o desejo, por parte da Hierarquia, de trazer à atenção do público o fato de que dois Avatares, Buda e Cristo, do Raio de Amor-Sabedoria, foram os primeiros de nossa humanidade a chegarem como Avatares humano-divinos e a incorporar em si mesmos certos Princípios Cósmicos e dar-lhes forma. Buda incorporou o Princípio de Luz e, por causa de sua Iluminação, a humanidade foi capacitada a reconhecer Cristo, que incorporou o Princípio ainda maior de Amor. O ponto que deve nascer na mente é o de que luz é substância, e o Buda demonstrou a consumação de substância-matéria como meio da Luz e por isso é que tem o título de “O Iluminado”. Cristo corporificou a energia da Consciência. Um demonstrou a elevação do alcance do terceiro aspecto divino; o outro, do segundo aspecto divino e os dois juntos representam um Todo perfeito. A segunda razão foi para iniciar o tema da nova religião mundial. Este tema ligará todas as observâncias religiosas, colorirá todas as aproximações ao centro divino da vida espiritual, fornecerá a chave para todos os processos de cura e –usando a luz cientificamente – governará todas as técnicas para trazer a unidade de consciência e as relações entre o homem e sua alma e entre o homem e a Hierarquia.

Muitas pessoas de todo o mundo tem sido treinadas durante anos para reconhecer duas coisas. Primeiro, a importância do Festival de Wesak por ocasião da Lua Cheia de Touro, não somente porque ele liga a maior religião do Oriente com a maior Fé do Ocidente, mas porque esotericamente ele fornece a chave para abrir a porta entre Shambala e a Hierarquia, entre o propósito de Deus (ainda não identificado pelo homem) e o método de Deus, que é Amor; ele também faz a conexão entre o Buda, temporariamente corporificando vontade-sabedoria  e o Cristo, corporificando amor-sabedoria, e também entre a humanidade, concentrada na consciência através de Cristo e a Hierarquia, centralizada na consciência através do Buda.

O retorno anual do Buda para abençoar seu povo em todas as partes e para transmitir a mensagem de sabedoria, luz e amor para a humanidade – vindo como Ele o faz, do coração da Deidade de seu Eu Sou – é a evidência exterior e a garantia da orientação divina interna e revelação no atual ciclo mundial de 2500 anos. Ano após ano Ele retorna. Por um breve instante Ele nos relembra de que Deus existe e ama sempre; que Ele não se esquece de Seu povo; que o coração do universo é compaixão inalterável e que o homem não está sozinho. Para trazer este reconhecimento e para que a aparição seja possível, um Triângulo vivo de Energia é criado e focalizado através de três grandes Indivíduos espirituais, que evocam reconhecimento tanto do Leste quanto do Oeste. Eles são conhecidos pelos crentes de todas as fés e de todas as nacionalidades. Estes Três são:

1.  O Senhor do Mundo, o Ancião dos Dias, Sanat Kumara, o Logos planetário, Melquisedec, Aquele a quem Cristo se referiu quando Eles disse: “Eu e Meu Pai somos Um”.

2.  O Buda, o Iluminado, o Revelador da Luz e da sabedoria que vem a nós de fontes muito maiores que a nossa vida planetária, um Mensageiro dos Deuses.

3.  O Cristo, o Filho de Deus, o Salvador do Mundo, o Redentor. Aquele que permaneceu conosco e que está juntando seu rebanho em seu manto, o Senhor do Amor.

Nestes três, cuja natureza é Amor e Luz radiantes, a humanidade pode, de alguma forma, alcançar a natureza da divindade. Eles são maiores do que é conhecido ou percebido; a inteligência e a aspiração humanas somente podem sentir Sua natureza essencial. Sua Potência espiritual tem que ser diminuída se a humanidade for sentir a pressão do impacto da energia em que Eles vibram e procuram transmitir. É o processo de baixar essa energia que ocorre na Lua Cheia de Maio, e ela é trazida para um “foco de transmissão” pela intenção em massa dos aspirantes e discípulos do mundo – ela mesma puxada pela necessidade em massa dos povos de todas as terras.

A cada ano por ocasião de Wesak, Buda se comunica com a humanidade, através de Cristo e da Hierarquia. Ele atua desta maneira como um agente trazendo as relações entre “o centro onde a vontade de Deus é conhecida” e o “centro a que chamamos a raça dos homens”. Estas duas frases são usadas com cautela porque todo o trabalho sendo feito atualmente por esses dois grandes Filhos de Deus está relacionado com a distribuição de energia – energia da Luz e energia do Amor. É através do Triângulo, já mencionado, que a energia da vontade eventualmente será distribuída e um desses distribuidores divinos é o Buda.  

O Espírito da Paz, que é invocado na segunda frase – “Que o Espírito da Paz se espalhe em todos os lugares” – é aquela misteriosa e divina Entidade com Quem Cristo se relacionou e Cuja influência atuou através Dele na ocasião em que Ele teve direito ao título de “Príncipe da Paz”. O Cristo incorporou em Si o princípio cósmico do amor, a expressão do qual em manifestação trabalhará como “Glória de Deus, Paz na Terra e Boa Vontade para com os homens”. Isto foi testemunhado pelos anjos por ocasião de seu nascimento. Quando Ele expressou este princípio de amor em sua vida e em Seu serviço ao mundo, Ele definitivamente fez a conexão entre nosso planeta e a humanidade (em particular) com a Fonte de Luz, Amor e Vida à qual nos referimos na segunda frase. Esta foi a salvação do mundo que Ele trouxe, um fato que ainda é pouco  percebido e que não será amplamente reconhecido até que esta poderosa Invocação tenha exercido o seu devido efeito.

Quando os aspirantes e discípulos do mundo usam esta Invocação, a primeira frase leva a consciência para a Hierarquia de Luz, que é o centro intermediário entre a Humanidade e Shambala. Ela serve então para enfatizar e estabelecer uma relação íntima, fundindo os centros humanos e os hierárquicos. Após isto ocorrer, a Hierarquia pode então usar esta Grande Invocação com maior potência e pode conduzir a relação a um estado mais elevado e produzir uma fusão com o centro Shambala, onde as Forças da Luz são encontradas como presenças incorporadas e onde Sua energia focalizada serve para prover grandes reservatórios de Luz e de Amor.

Estas ainda não estão disponíveis para distribuição planetária, devido à falta de relação estabelecida entre os três centros: Humanidade, Hierarquia e Shambala. Essa relação agora está começando a ser estabelecida; o fluxo de Luz e Amor para a humanidade agora é possível se os discípulos e aspirantes do mundo puderem ser guiados a fazer o esforço necessário para sustentar-se como seres espirituais e desta atenta atitude de equilíbrio, invocar estas grandes Entidades. É a essa possibilidade que o Novo Testamento se refere quando é feita uma citação à lagoa   que era agitada pelo Anjo de tempos em tempos e onde foi produzida uma condição que levou à cura dos enfermos. O Anjo da Presença, a alma da humanidade, como corporificado na Hierarquia e aqueles que conscientemente estão se empenhando para funcionar como almas podem agora agitar esses reservatórios de Força e Luz nos planos etéricos de Shambala de forma que uma definitiva “cura das nações” possa ocorrer.

Quando idéia trazida pela Grande Invocação possa ser elevada o suficiente na consciência daqueles que a estiverem usando através de um esforço conjunto dos discípulos do mundo e da Hierarquia de Luz – e também com o reforço das Forças da Luz – então o Espírito de Paz poderá ser invocado.

Numa das voltas inferiores da espiral, vocês notarão que o Festival de Wesak efetua uma invocação e um processo similares. Nesse tempo, lá, os três Representantes de Shambala na Hierarquia, o Manu, o Cristo e o Maha Chohan, invocam o Buda que por sua vez é o transmissor de Forças ainda mais elevadas. Ele é invocado por um mantra especial e transmite o apelo Àquele de Quem Ele é agente. Se esta grande Invocação for feita corretamente, os três grandes centros planetários podem ser relacionados de uma maneira similar. O Senhor da civilização, o Mestre R., representando a humanidade, Cristo representando a Hierarquia e o Senhor do Mundo, conectados através do Manu e representando Shambala podem ser trazidos numa relação próxima, cujo resultado será o estabelecimento de uma vibração tão poderosa que o Espírito da Paz será invocado e contactado. Pelo apelo vocal Sua atenção será forçada a se voltar para o nosso planeta. As conseqüências serão potentes e significantes. Não se sabe ainda de que forma isso ocorrerá. Talvez isso conduza a alguma demonstração peculiar e poderosa do significado da paz como expressão do amor universal e planetário; talvez produza o envio de um Avatar ou Mensageiro de Paz para guiar as nações à ação correta; talvez ocorra algum acontecimento de grande significado, que sua importância será imediatamente será imediatamente reconhecida pela humanidade como um todo, levando-a a dar todos os passos necessários para restaurar corretamente as relações humanas. A natureza das atividades que o Espírito de Paz instituirá não é nossa responsabilidade. Nosso dever é aprender a contactar corretamente a Hierarquia, através de nossas próprias almas.; usar corretamente a grande Invocação como almas e nos render corretamente, responsivos e sensíveis aos efeitos resultantes.

Note-se que as Forças da Luz se expressam através da Hierarquia de Luz e Seu maior efeito é a Iluminação das mentes dos homens com amor e luz. Isto é precipitado no plano mental. A personalidade do aspecto da forma da humanidade é assim penetrada e iluminada. Assim o terceiro grande centro planetário, a Humanidade, se torna criativa e magnética e dois aspectos divinos, inteligência e amor, atingirão o gozo no plano físico, tornando possível para o primeiro aspecto e a vontade de Deus (conhecido pela humanidade como o Plano) serem trazidos conscientemente à Terra, em conformidade com a atividade instituída em Shambala. A vontade d deus é o propósito e isto, pela primeira vez, está para ser reconhecido conscientemente pelo homem.

O Espírito de Paz, quando chegar o tempo, vitalizará as capacidades de resposta da humanidade, através da influência da Hierarquia, para a vontade de Deus, que tem por intenção básica trazer a paz à terra. O que é Paz? É essencialmente o estabelecimento das relações humanas corretas, de relação sintética com sua cooperação resultante, de correta interação entre os três centros planetários e uma compreensão cheia de amor, iluminada, da vontade de deus, à medida que ela afeta a humanidade e alcança o intento divino. É por essa razão que Cristo, que estabeleceu pela primeira vez na história planetária, um contacto entre a Hierarquia, a humanidade, Shambala e o Espírito da Paz em Seu próprio elevado lugar, em Sua própria elocução registrada disse que Ele devia cumprir os assuntos de Seu Pai e depois, no final de Sua vida, reiterou a mesma idéia com as palavras: “Pai, que seja feita tua vontade, não a minha”, assim levando o pensamento para o plano mais alto, pois Ele se dirigiu ao Pai, o primeiro aspecto da Divindade. Ele então focalizou em si mesmo os dois maiores atributos e aspectos divinos – Vontade e Amor (atma-buddhi) – e devido a isto, Sua consciência tornou-se extra-planetária, assim com é a consciência do Senhor do Mundo e Ele pode então tocar certas alturas de percepção e contactar certas Agências solares que nunca haviam antes sido contactadas pelo homem. Este feito O capacitou a colocar a Humanidade em conexão com o Espírito de Paz. Então ele mesmo se tornou a Luz do Mundo e o Príncipe da Paz.

Desta maneira, Shambala  e a Hierarquia foram trazidas para um relacionamento próximo e duas grandes correntes de força foram fundidas e uma interação definitiva ocorreu entre elas. O Buda, através de sua capacitação para a Iluminação estabeleceu a primeira ligação maior com as Forças da Luz. O Cristo, através de sua capacidade para expressar a vontade de Deus em Amor e como Salvador do mundo, estabeleceu a primeira ligação maior com o Espírito de Paz.

No festival de Wesak há três fatores de importância para a Humanidade:

1. O Buda, a corporificação ou o agente das Forças da Luz pode ser contactado e aquilo que Elas procuram trazer para a Humanidade, pode ser apropriado conscientemente.

2. O Cristo, a corporificação do Amor e da Vontade de Deus e o agente do Espírito de Paz, pode também ser contactado e a humanidade pode ser treinada para se adaptar a este tipo de energia extra-planetário.

3. Através do Cristo e do Buda, a humanidade agora pode estabelecer uma relação mais íntima com Shambala e então dar a sua própria contribuição, como centro planetário, para a vida planetária. Penetrada pela Luz e controlada pelo Espírito de Paz, a expressão da vontade para o Bem da humanidade pode emanar poderosamente deste terceiro centro planetário.A humanidade então, pela primeira vez, empreenderá sua missão destinada, como  intermediário inteligente, com muito amor, entre os estados elevados de consciência planetária , os estados supra-humanos e os reinos sub-humanos. Assim a humanidade eventualmente irá tornar-se o salvador do planeta.  

Quando um inteiro conjunto de pessoas é animado por um único desejo superior, quando suas auras se misturam e se fundem e formam um canal unido para o fluxo que desce, o efeito é tremendamente intensificado e seu raio pode abranger o mundo. Vocês tem um exemplo disto no maravilhoso Festival de Wesak, comemorado tão universalmente na Índia neste dia, quando a própria Hierarquia se transforma num canal para a transmissão de poder e bênçãos desde os níveis em que se encontra o Buda. Ele age como um ponto focal para esse poder, e passando-o através de sua Aura, derrama-o sobre a humanidade por meio do canal fornecido pela assembléia dos Senhores, dos Mestres iniciados graduados e discípulos. Este canal é formado pelo uso de som e de ritmo, empregados simultaneamente. Pelo canto de um certo mantra, através de movimentos leves, medidos, que acompanham o canto, o funil é formado e ele alcança desde cima até a localidade desejada. As figuras geométricas formadas na matéria do plano mais elevado que o físico se transformam, elas mesmas, em maravilhosas avenidas de aproximação do centro de bênçãos para os habitantes, devas ou outros, de qualquer plano particular. Para aqueles que tem vidência, a beleza das formas geométricas é inacreditável, e aquela beleza é aumentada pelas auras radiantes dos Grandes que são reunidos ali.

Enquanto vocês preparam seus próprios corações, lembrem-se de que a Lua Cheia de Touro é a ocasião em que o Novo Grupo de Servidores do Mundo e todos os povos esotéricos e espiritualmente orientados do mundo devem trabalhar em total cooperação com o Buda, e de que a Lua Cheia de Gêmeos é a oportunidade para as pessoas de boa vontade, auxiliadas pelo Novo grupo de Servidores do Mundo, para despertar povos em todos os locais e fazer um grande apelo, e por este apelo fazer com que o Cristo invoque para eles o auxílio necessário.

 

Textos selecionados dos trabalhos de Alice Bailey (1888-1949)
http://www.speakeasy.org/~raymondw/Wesakhistory.html

Category : COMUNICADOS, EVENTOS, PUBLICAÇÕES Print

| Contact author |